Motoristas de aplicativos farão carreata em Porto Alegre nesta quinta-feira
capa

Motoristas de aplicativos farão carreata em Porto Alegre nesta quinta-feira

Grupo tem como trajeto final a Câmara da Capital, onde projeto sobre transporte público começa a ser analisado

Por
Camila Diesel / Rádio Guaíba

Grupo tem como trajeto final a Câmara da Capital, onde projeto sobre transporte público começa a ser analisado

publicidade

Motoristas de aplicativos farão, na manhã desta quinta-feira, uma carreata até o centro de Porto Alegre a fim de acompanhar a sessão da Câmara de Vereadores que deve analisar o pacote de projetos com os quais a Prefeitura pretende baixar a tarifa de ônibus na cidade. Dois deles levantaram mais polêmica ao criarem taxas voltadas a motoristas com veículos emplacados fora da cidade e a condutores ligados a empresas de transporte por aplicativo, como Uber, 99, Cabify e Garupa. Com as duas medidas, a Prefeitura espera baixar o preço das passagens – hoje de R$ 4,70 -, em até R$ 1,20, ainda neste ano.

A concentração dos motoristas de apps vai se iniciar às 7h, no Largo do Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa. Conforme o presidente da Associação Liga dos Motoristas de Aplicativos (Alma), Joe Moraes, os motoristas devem se dirigir, “de forma pacífica” até a Câmara para acompanhar a sessão e pressionar pela recusa ao projeto. A movimentação deve se repetir também na sexta-feira.

Moraes revela que há pelo menos 30 mil motoristas cadastrados em aplicativos em Porto Alegre e na região metropolitana. “A gente está falando de 30 mil famílias que dependem disso. Já é uma profissão regulamentada. Não temos como aceitar uma coisa absurda dessas sendo aprovada a toque de caixa. Não há viabilidade técnica, não há tempo para se discutir esse projeto. Impacta a todos. Tirar de um para botar pra outro não existe. Se procura saídas, se procura estudos, alguma coisa que realmente seja viável”, disse.

Também insatisfeito com as propostas apresentadas pela Prefeitura, o Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre (Stetpoa) entrou, na tarde dessa terça-feira, em estado de greve. Os rodoviários definiram uma série de mobilizações e prometeram ‘parar a cidade’ na quinta-feira para impedir que os projetos encaminhados pelo Executivo sejam votados na Câmara Municipal. A categoria, que reúne 3,6 mil cobradores de ônibus, garante que os sindicalistas vão ocupar garagens das empresas da cidade. O alvo principal é o projeto que prevê a redução gradual da figura do cobrador, que pode baixar em R$ 0,05 o valor da passagem.