Número de regiões na bandeira vermelha sobe para nove
capa

Número de regiões na bandeira vermelha sobe para nove

Além de nenhuma das quatro regiões de alto risco apresentar melhora nesta semana, áreas de Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Santo Ângelo foram incluídas

Por
Correio do Povo

Porto Alegre permanecerá pelo menos mais duas semanas na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado


publicidade

Aumentou para nove o número de regiões na bandeira vermelha do plano de Distanciamento Controlado do Governo do Estado. Conforme a atualização prévia divulgada nesta sexta-feira, além de Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas – que já estavam e seguem sob bandeira vermelha – também foram classificadas como alto risco de infecção pelo novo coronavírus as regiões de Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Santo Ângelo.

Os municípios têm, agora, até às 6h30min de domingo para recorrer da classificação. Uma eventual nova análise do Piratini será feita então e o resultado definitivo será publicado na segunda-feira à tarde, para que as restrições passem a valer na terça. 

Nesta atualização, a oitava do modelo de Distanciamento Controlado, apenas as regiões de Taquara e Bagé se encontram em bandeira amarela (risco baixo). Santa Maria, Uruguaiana, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Pelotas, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado estão em bandeira laranja (risco médio). Santa Rosa, que estava em bandeira amarela, passou para a laranja. 

Esta rodada será a primeira com as regras anunciadas na semana passada de que municípios que sejam classificados como alto risco permaneçam ao menos duas semanas na categoria de bandeira vermelha. Isso vale para Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Capão da Canoa, além de Caxias – qua havia sido colocada como vermelha na penúltima rodada. 

De acordo com o governo do Estado, houve um aumento de 20% nas atualizações por Covid-19 no Estado, passando de 513 para 613. Também cresceu a quantidade de internados em UTI por síndrome respiratória aguda grave, que passou de 366 para 459.

Outros dois fatores que pesaram na piora geral do cenário foram o número de casos ativos nesta semana, que alcançou 6.640 e a redução de leitos de UTI livres, de 587 para 264. 

Essas altas se refletiram em Porto Alegre, onde o número de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registrado nos últimos sete dias apresentou um crescimento de 57% entre as duas semanas, passando de 130 para 204. Com isso, o indicador apresentou bandeira preta. 

Apesar do quadro ruim, 185 municípios que agora estão sob bandeira vermelha não registraram óbitos ou hospitalizações nos últimos 14 dias e são autorizados, caso as respectivas prefeituras decidam, a adotar as restrições da bandeira laranja. A lista completa dessas cidades foi divulgada pelo governo do Estado

O detalhamento completo dos dados de todas as regiões da oitava rodada do Distanciamento Controlado está disponível neste link.


Desde terça-feira, o Rio Grande do Sul vem tendo ao menos mil casos novos por dia de Covid-19. O total de infectados no Estado passou dos 24 mil nesta sexta. Desde o início da pandemia, pelo menos 540 pessoas morreram em decorrência da doença causada pelo novo coronavírus no Rio Grande do Sul.