Novas doses de vacinas contra Covid-19 são distribuídas para as cidades do RS

Novas doses de vacinas contra Covid-19 são distribuídas para as cidades do RS

Lote de 242.950 mil imunizantes da Astrazeneca/Oxford e da Coronavac chegou nesta sexta ao Estado

Cláudio Isaías

Vacinas da Astrazeneca (foto) e Coronavac chegaram nesta sexta, foram separadas na Ceadi e entregues para as coordenadorias regionais de saúde

publicidade

O lote de 242.950 mil doses das vacinas Astrazeneca/Oxford e da Coronavac foi distribuído nesta sexta-feira pela Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi) para as coordenadorias regionais de saúde. Os imunizantes contra a Covid-19 chegaram ao Estado em um avião ATR-72 que pousou no Aeroporto Salgado Filho às 6h e foram enviados para todo o Estado.

A entrega das doses ocorreu com apoio terrestre de viaturas da Brigada Militar, e de aeronaves da Polícia Civil e da Brigada Militar. Desde cedo, a movimentação de vans de Porto Alegre, no caso da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), e das prefeituras do interior do Estado foi tranquila na frente da sede da Ceadi na avenida Ipiranga, na zona Leste de Porto Alegre. Viaturas da Brigada Militar realizaram a segurança no local.

O lote de imunizantes é composto de 192.750 mil doses da AstraZeneca/Fiocruz e 50,2 mil da Coronavac/Instituto Butantan. Logo depois da chegada no aeroporto, as vacinas foram levadas à Ceadi, em Porto Alegre, para separação. Um helicóptero da Brigada Militar entregou a carga para a 5ª CRS (Caxias do Sul) e um avião da mesma corporação levou para a 2ª (Frederico Westphalen), 3ª (Pelotas), 6ª (Passo Fundo), 7ª (Bagé), 9ª (Cruz Alta), 11ª (Erechim), 12ª (Santo Ângelo), 14ª (Santa Rosa), 15ª (Palmeira das Missões) e 17ª (Ijuí).

Ainda por via aérea, um helicóptero da Polícia Civil transportou as doses da vacina para a 4ª (Santa Maria) e 10ª (Alegrete). Já a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Porto Alegre e as coordenadorias de Porto Alegre (1ª), Cachoeira do Sul (8ª), Santa Cruz do Sul (13ª), Lajeado (16ª) e Osório (18ª) enviaram veículos para retirada das doses diretamente na Ceadi.

A carga dos imunizantes para os municípios de Alvorada, Canoas, Esteio, Gravataí, Montenegro, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Taquara e Viamão também foi retirada na central.

As 242,9 mil vacinas terão o seguinte destino: 50,2 mil doses da Coronavac para atender até 86% da segunda dose das pessoas que receberam a primeira aplicação na remessa que chegou ao Estado no dia 20 de março. Somando com as doses que já estavam reservadas para este fim, ficam faltando, ainda, 40 mil doses para atender a integralidade desse público.

Já as 192.750 da AstraZeneca serão para atender 100% da segunda dose das pessoas que receberam a primeira aplicação na remessa que chegou ao Rio Grande do Sul no dia 24 de janeiro. A Secretaria Estadual da Saúde (SES) pretende completar 100% da primeira dose de idosos de 62 anos e ampliar a vacinação de idosos de 61 anos, atingindo 92% desse grupo. Além disso, a ideia é repassar doses extras para vacinação de idosos de 65 anos ou mais que ainda não foram vacinados.

No Rio Grande do Sul, até as 9h de sexta-feira, já foram aplicadas e registradas 2,68 milhões de vacinas, entre a primeira e a segunda doses, com 72% do total distribuído aplicado na população. O esquema vacinal foi completado por 634,9 mil pessoas - com as duas doses necessárias.

As 242.950 mil doses da vacina contra a Covid-19 foram enviadas ao Rio Grande do Sul pelo Ministério da Saúde. Os dois imunizantes da AstraZeneca/Oxford, da Fiocruz, e as doses da Coronavac, do Instituto Butantan, são produzidos no Brasil com matéria-prima importada.

A população gaúcha já recebeu, ao todo, mais de 3,8 milhões de doses da vacina contra o coronavírus. Essa nova remessa enviada aos estados e para o Distrito Federal faz parte do lote com 3,5 milhões de doses da vacina Covid-19 recebidos pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a Secretaria de Vigilância em Saúde, as doses são destinadas para a vacinação de idosos entre 60 e 69 anos e agentes das forças de segurança e salvamento e Forças Armadas que atuam na linha de frente do combate à pandemia. Nesta leva, parte das vacinas é destinada para a primeira dose e a outra parcela para a segunda aplicação. A ideia é garantir a cobertura do esquema vacinal no tempo recomendado de cada imunizante: quatro semanas para a vacina do Instituto Butantan e 12 semanas para as doses da Fiocruz.

A estratégia de distribuição para aplicação da primeira e segunda doses é revisada semanalmente em reuniões tripartites (governos federal, estaduais e municipais), observando as confirmações do cronograma de entregas por parte dos laboratórios. O Ministério da Saúde está coordenando a distribuição de doses para a campanha de vacinação contra a Covid-19, iniciada no dia 18 de janeiro.

Até o momento, contando com esse novo lote, já foram destinados a todos os estados mais de 57,3 milhões de doses dos imunizantes, com um alcance de aproximadamente 32,6 milhões de brasileiros.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895