Novos lotes ampliarão vacinação para pessoas com comorbidades de 33 anos ou mais no RS

Novos lotes ampliarão vacinação para pessoas com comorbidades de 33 anos ou mais no RS

Estado recebeu 243,4 mil doses da AstraZeneca nesta quinta e aguarda nova remessa da Pfizer para a segunda-feira

Correio do Povo

Doses da AstraZeneca chegaram nesta quinta-feira

publicidade

O Rio Grande do Sul começou a planejar os grupos que serão imunizados com os novos lotes de vacinas que chegam ao Estado. Nesta quinta-feira, 243,4 mil doses da vacina Oxford/AstraZeneca desembarcaram no Estado e a Secretaria Estadual de Saúde (SES) também espera para a próxima segunda-feira uma nova remessa com 69.030 vacinas da Pfizer. Conforme a pasta, as cargas serão utilizadas para concluir a vacinação de todas as gestantes e puérperas maiores de 18 anos, todas as pessoas com deficiência permanente cadastradas no Benefício de Prestação Continuada (BPC) maiores de 18 anos, e pessoas com comorbidade de 33 anos ou mais.

A secretária da Saúde, Arita Bergmann, reforçou durante reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), com representação do Estado e dos municípios, que os gestores municipais não guardem vacinas da Coronavac em estoque, e utilizem tudo que possuem para a aplicação da segunda dose em quem recebeu a primeira, há 28 dias ou mais.

Também ressaltou que os municípios não devem, por conta própria, desobedecer a fila de grupos prioritários definida pela Ministério da Saúde, passando outras pessoas à frente. “Todos merecem vacina, ninguém é mais importante que os outros, mas precisamos, juntos, priorizar a vacinação de quem está mais exposto à complicações, internações e óbitos”, defendeu. “Ao proteger uma gestante, estamos protegendo duas vidas”, acrescentou.

Os municípios que alcançarem todas as pessoas dos grupos elencados poderão abrir a campanha de vacinação para as pessoas com comorbidade com 32 anos, e depois com 31, e assim progressivamente. “Não podemos é deixar doses paradas”, salientou Arita.

Até o momento, já foram entregues aos municípios gaúchos doses suficientes para vacinar todas as pessoas com síndrome de down maiores de 18 anos e pacientes renais que fazem tratamento por diálise maiores de 18 anos, além de grávidas e puérperas com alguma comorbidade maiores de 18 anos, pessoas com comorbidades de 40 anos ou mais e pessoas com deficiência permanente cadastradas no BPC de 40 anos ou mais.

Também já se vacinaram com pelo menos uma dose de vacina contra a Covid-19 no Rio Grande do Sul os idosos, os trabalhadores de saúde, povos indígenas, quilombolas e ribeirinhas, pessoas com deficiência institucionalizadas e força de salvamento e segurança trabalhando diretamente no combate à pandemia.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895