Obras de restauração do Mercado Público devem ser concluídas até o final de julho

Obras de restauração do Mercado Público devem ser concluídas até o final de julho

Restauração da fachada já está em fase avançada e os serviços de pintura devem iniciar nos próximos dias

Felipe Samuel

Segundo andar do Mercado Público vai ganhar corrimãos de inox nos próximos dias

publicidade

Aguardada pela população porto-alegrense, a restauração do segundo piso do Mercado Público deve ser concluída até o final de julho. As obras de revitalização envolvem a troca de dois elevadores, duas escadas rolantes e a reforma elétrica das instalações do segundo pavimento. A Associação do Comércio do Mercado Público informa que a restauração da fachada já está em fase avançada e os serviços de pintura devem iniciar nos próximos dias.
 
Além de contar com Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) em dia, o Mercado Público segue com as obras no segundo piso. Nesta quarta-feira, a presidente da entidade, Adriana Kauer, recebeu o prefeito em exercício Idenir Cecchim, que inspecionou a revitalização da estrutura. Ela explica que nos próximos dias o segundo andar vai ganhar corrimãos de inox. "Vamos ter corrimões de inox em toda volta do mercado justamente para cuidar daquelas pessoas que, no caso de algum sinistro, precisam de um apoio pra conseguir sair do prédio. Da nossa parte vamos fazer isso agora", observa.
 
Adriana destaca ainda que a parte elétrica 'está andando bem', o que vai possibilitar aos permissionários voltar a atender no segundo andar. "A Multiplan já fez teste dos elevadores. O elevador da Parobé com a Borges já está funcionando, mas ainda não liberaram para uso", adianta. Ela ressalta que o restauro da fachada na avenida Júlio de Castilhos também já foi concluído. "Depois de tudo restaurado, começa realmente a parte da tinta. E vai ser interessante porque a população vai começar a ver a obra propriamente dita e o mercado ficando bonito", completa. 
 
O segundo piso ganhou ainda sinalização em led. Dos sete permissionários que operam no segundo andar, quatro estão com as obras em andamento. A corrida contra o tempo é para garantir a abertura já no início de agosto. "Em dois meses as obras devem estar concluídas", afirma. Adriana apresentou ainda um projeto arquitetônico para a construção de uma espécie de sala de resíduos. Atualmente, o lixo orgânico produzido dentro do mercado é acondicionado dentro de uma câmara fria dentro do mercado, o que eventualmente provoca cheiro ruim.
 
"Inclusive os consumidores reclamam muito quando vêm aqui, falam do cheiro ruim do mercado. Isso é porque o lixo orgânico é dentro do mercado. Apesar de estar dentro de uma câmera fria, toda vez que se abrem as portas, se percebe, consegue sentir esse cheiro", frisa. "A nossa intenção é que esse lixo seja deslocado pro outro lado da rua, pra que ele possa realmente estar longe do mercado, e lá vamos fazer tipo um bunker fechado e realmente à prova de cheiro", completa.
 
Cecchim destaca a importância e o simbolismo do Mercado Público para a população gaúcha. "Os mercadeiros estão juntos novamente com a prefeitura para refazer a parte superior do mercado, que está precisando. Isso aqui é um patrimônio da cidade", afirma. Cecchim afirma que o funcionamento do segundo andar é fundamental para a retomada do movimento no local. "É o espaço mais democrático que nós temos na cidade", acrescenta.
 
Cecchim defende a instalação da estrutura para abrigar resíduos sólidos. "Isso não só ajuda o meio ambiente, como ajuda também a dar uma renda para aqueles que fazem a separação do lixo, para aqueles que trabalham lá na ponta", sustenta. O Mercado Público sofreu um incêndio na noite de 6 de julho de 2013, que destruiu aproximadamente 60% do pavimento superior. Desde então, apesar de reparos na estrutura e nas telhas, não há atividade comercial no segundo piso. As obras de revitalização começaram no dia 14 de fevereiro. 

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895