Ocupação de UTIs por Covid-19 em Porto Alegre é a maior desde 22 de setembro

Ocupação de UTIs por Covid-19 em Porto Alegre é a maior desde 22 de setembro

Cinco hospitais na Capital têm lotação máxima em unidades de terapia intensiva nesta terça-feira

Felipe Samuel

Cinco hospitais na Capital têm lotação máxima em unidades de terapia intensiva nesta terça-feira

publicidade

A rede hospitalar de Porto Alegre registrou nesta terça-feira a maior ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) por pacientes diagnosticados com o novo coronavírus em 85 dias. Com 297 casos confirmados para a doença, os leitos de UTI não registravam tantos pacientes relacionados à doença desde 22 de setembro, quando o monitoramento da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) apontava 299 casos confirmados. Além das 21 pessoas que permaneciam em UTIs com diagnóstico suspeito para a doença, outras 23 que testaram positivo para o vírus aguardavam por leitos em emergências.

A taxa de ocupação geral dos leitos, que envolve internações por todas as doenças, totalizava 89,5% de lotação, com 699 pacientes. Cinco hospitais apresentavam lotação máxima: Moinhos de Vento, Ernesto Dornelles, Porto Alegre, Independência e Restinga. Referências no tratamento da Covid-19, Clínicas, Nossa Senhora da Conceição, São Lucas e Mãe de Deus registravam ocupação acima de 90%. Mesmo com segundo maior número de pacientes relacionados ao novo coronavírus, com 54 casos (49 confirmados), a Santa Casa operava com lotação de 83,47%.

Com 2.138 leitos de UTI adultos ocupados de um total de 2.580, a rede hospitalar do Estado registrava 82,9% de lotação. Até o início da noite, mais da metade dos pacientes, 1.111 (51,9%), eram relacionados à Covid-19, dos quais 899 positivos para a doença e 212 com diagnóstico suspeito. A ocupação de leitos privados de UTI atingia 97,4% de lotação, com 684 pacientes.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895