Orla do Guaíba movimentada neste domingo

Orla do Guaíba movimentada neste domingo

Quantidade expressiva de pessoas não usou a máscara de proteção

Christian Bueller

Orla esteve lotada, com o bom tempo deste domingo

publicidade

Todos os caminhos levaram à Usina de Gasômetro. A frase é antiga e superlativa, mas foi a impressão que ficou para quem saiu de casa para apreciar a orla do Guaíba, neste domingo. Como ocorreu em outros finais de semana com céu azul, poucas nuvens e sol ameno – a temperatura girou em torno dois 26°C –, um número de massivo de pessoas não utilizava máscaras, ainda que a pandemia não tenha terminado.

“Acho que é por causa da vacinação, mas o pessoal deve continuar atento. Não é porque diminuem as mortes que podemos baixar a guarda”, opinou a professora Cleide Nunes, 45 anos, que observava as filhas patinarem. Caminhadas, corridas, pedaladas e manobras de skate completavam o cenário dos praticantes de esportes que costumam frequentar o espaço não somente aos domingos.

Em cada lado da ciclovias, comerciantes dispunham das mais variadas opções gastronômicas, doces e salgadas, geladas ou assadas na hora. “Em vez de fazer churrasco em casa, preferimos aproveitar o dia fora. Curtimos o pôr do sol e ainda gastamos menos”, conta o motorista de ônibus Alfredo Zanauer, 36 anos, que saiu de Alvorada com a família na sua folga.

Presença dominical constante na orla, a comerciante ambulante Maira Suarez, 48 anos, esperava uma concentração maior de pessoas no local, apesar de ser contra a aglomeração. “Não sei se é o excesso de vento ou é por ser fim de mês, mas costuma vir mais gente”, observa, com máscara no rosto. Mas ela não reclama, pois diz que há dois meses um novo “produto sensação” lhe deu muitos clientes: é o “pop it”, um brinquedo sensorial antiestresse, uma espécie de plástico bolha moderno, feito de borracha e colorido, em formatos diferentes, entre unicórnios, corações, sorvetes e outros.

Tenda para cuidar da saúde

Passeio de domingo também é momento para cuidar da saúde. Mais de 300 pessoas que passaram pelo Gasômetro, pararam na tenda com serviços promovidos pelo Hospital Mãe de Deus e uma rede de farmácias. Com foco em prevenção às doenças cardiovasculares e em alusão ao Setembro Vermelho, teve aferição de pressão arterial, testes de perfil lipídico (dosagem de colesterol e triglicerídeos) e de glicemia, análise corporal em balança de bioimpedância e cálculo do escore de risco cardiovascular. Tudo gratuito. “É ainda mais preciso que o cálculo do IMC (Índice de Massa Corporal). Depois, as pessoas ainda puderam buscar orientações com especialistas”, explica o médico Jéfferson Cunha. 


Mais Lidas





Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895