Padre indiciado pelo MP deixou Gramado após forjar assalto

Padre indiciado pelo MP deixou Gramado após forjar assalto

Pároco está entre os denunciados por formação de quadrilha no Natal Luz

Correio do Povo

publicidade

O padre católico Elói Sandi, um dos 34 denunciados pelo Ministério Público (MP) por formação de quadrilha e peculato na organização do Natal Luz, foi afastado da Paróquia de Gramado por forjar um assalto em 2005. Sandi foi um dos idealizadores do evento e coordenava o espetáculo Nativitaten. Segundo o MP, o pároco se beneficiava de valores supostamente desviados por organizadores do Natal Luz.

O afastamento do comando da Paróquia São Pedro foi motivado por um registro falso na Delegacia de Polícia. O padre informou ter sido vítima de um assalto que, na verdade, não aconteceu. A ocorrência foi feita após uma noite de festa, onde Sandi teria ingerido álcool. Na época, o padre estava fazendo tratamento com medicamentos e a mistura com álcool teria tornado o comportamento confuso. Depois, a igreja informou que o padre não lembrava do que havia ocorrido.

Atualmente, Sandi é capelão militar do Exército em Caxias do Sul. A igreja desconhece o suposto envolvimento do religioso com o desvio de recursos.

Bookmark and Share

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895