Pandemia avança e estabilização não se confirma no Brasil, aponta Ministério da Saúde
capa

Pandemia avança e estabilização não se confirma no Brasil, aponta Ministério da Saúde

Arnaldo Correia, secretário de Vigilância em Saúde, classificou crescimento de casos como "significativo"

Por
R7

Em relação aos óbitos, a tendência de crescimento também foi observada pelo representante do Ministério da Saúde


publicidade

O Ministério da Saúde reconheceu nesta quarta-feira que a expectativa de uma possível estabilização das curvas de casos e óbitos por Covid-19, que havia sido indicada pela pasta na semana passada, não se confirmou entre as 24ª e 25ª semanas epidemiológicas. 

Segundo Arnaldo Correia, secretário de Vigilância em Saúde, a pandemia do novo coronavírus continua avançando de forma "significativa" no Brasil. O país, segundo em números de vítimas fatais e infectados em todo o mundo, acumula 53.830 mortes e 1.188.631 contaminados desde o início da crise sanitária. 

"A gente tinha falado, na semana anterior, que parecia que a curva tenderia a uma certa estabilização, com a diminuição dos números de casos. A gente vê que nesta semana tivemos um aumento significativo de casos novos, entre as semanas 24 e 25", disse o secretário, em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, em Brasília. 

Em relação aos óbitos, a tendência de crescimento também foi observada pelo representante do Ministério da Saúde. No entanto, Correia ressaltou que a "inclinação" foi menos "agressiva" quando comparada com os indicadores de novas ocorrências da doença. 


"Até a semana 24 parecia que havia um platô, vamos assim dizer, um platô com relação ao crescimento do número de óbitos, mas houve um aumento entre as semanas 24 e 25. Quando você compara os números de casos novos com o crescimento e o número de óbitos, a gente verifica que foi, graças a Deus, e a todo esforço de todos os profissionais, muito menor em termos de inclinação, de agressividade", completou.