Pandemia impacta varejo de autopeças em lojas e oficinas de Porto Alegre

Pandemia impacta varejo de autopeças em lojas e oficinas de Porto Alegre

Empreendedores chegaram a registrar falta de mercadorias para reposição nos estabelecimentos

Por
Cláudio Isaías

Empreendedores chegaram a registrar falta de mercadorias para reposição nos estabelecimentos


publicidade

O setor de autopeças e as oficinas também foram afetados pela pandemia do novo coronavírus. Em Porto Alegre, principalmente nos bairros Azenha e Partenon, e na avenida Farrapos, locais tradicionais desses estabelecimentos comerciais, os proprietários e gerentes destacaram que a crise causada pela Covid-19 atingiu em cheio os negócios. As lojas em razão da crise tiveram até a falta de peças.

Na avenida Azenha, o gerente Antônio Carlos Gonçalves, da Freeway Baterias, afirmou que o movimento de clientes apresentou uma drástica redução a partir de março. "Decidimos, naquele período de implementação do decreto municipal da prefeitura, fechar a loja por 19 dias", recordou. Depois, o estabelecimento comercial retomou as atividades no mês de abril através do sistema de telentrega.

Gonçalves afirmou que. para piorar a situação, também ocorreu a falta de peças no mercado. A loja atua no segmento de baterias, limpador de pára-brisas e lâmpadas e seguiu todas as recomendações de segurança como o uso de máscaras pelos funcionários, álcool em gel e o distanciamento no atendimento de clientes.

Em uma oficina mecânica na avenida Otto Niemeyer, na zona Sul de Porto Alegre, os funcionários informaram que os primeiros dias da pandemia da Covid-19 foi de uma queda forte no movimento. "Ninguém sabia que medidas seriam adotadas e como seria o funcionamento da loja", ressaltou o gerente Carlos Ferreira. Ele lembrou que o serviço começou a melhorar no final de abril, depois do anúncio das regras pela prefeitura. Ele recordou ainda que o estabelecimento comercial sofreu com a falta de peças. A oficina atua no segmento de serviço automotivo, suspensão, freio e injeção eletrônica.

Em uma loja especializada em peças e acessórios para automóveis, na rua Hoffman, no bairro Floresta, na zona Norte, o gerente José Freitas Marques disse que infelizmente é um momento delicado não só para o setor, mas para o país. "Depois de um janeiro modesto, um fevereiro envolvido pelo Carnaval que praticamente para tudo, tínhamos no mês de março a esperança de dias melhores e aí surgiu a pandemia da Covid-19 e tudo foi por água abaixo", destacou.


Segundo ele, o estabelecimento comercial chegou a fechar por duas semanas, mas depois das medidas da prefeitura voltou a reabrir com segurança para os funcionários e os clientes. “O novo coronavírus impactou bastante a vida das pessoas que levaram os veículos para a oficina. Tivemos dificuldades para encomendar peças nas distribuidoras por conta das entregas, e isso afetou bastante o mercado automotivo”, acrescentou.