Para evitar nova variante, pacientes vindos de Rondônia ficarão isolados no RS

Para evitar nova variante, pacientes vindos de Rondônia ficarão isolados no RS

Grupo de 50 pessoas desembarca nesta terça no Estado para receber tratamento contra a Covid-19

Gabriel Guedes

Dos 50 pacientes, 20 serão enviados para o Hospital Universitário de Canoas

publicidade

Depois do apelo, no sábado, do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, sobre o colapso do sistema de saúde da capital do estado de Rondônia, o Rio Grande do Sul aceitou receber até 50 pacientes hospitalizados por Covid-19. O grupo deverá chegar nesta terça-feira, mas alegando preservar a identidade das pessoas a serem transferidas, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) não forneceu detalhes, como os horários, voos e aeroporto onde desembarcarão.

Por aqui, em pelo menos dois hospitais que os receberão, os pacientes de Rondônia irão ficar isolados dos demais internados por Covid-19, e em um deles, o grupo será testado para verificar se não estão infectados pela variante do novo coronavírus, descoberta em Manaus (AM), que pode ser mais contagiosa.

Os pacientes, que não estão em estado grave, mas necessitam de cuidados hospitalares, viajarão em duas aeronaves com 15 lugares cada, disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. Contudo, esta segunda-feira foi marcado por confusão no estado da região Norte do país. Muitos não querem ficar internados no Sul segundo o secretário estadual da Saúde, Fernando Máximo. 

“A questão é que o perfil destes pacientes, é um perfil que estão bem do ponto de vista clínico, e eles não tem aceitado a viagem. Nós montamos uma força-tarefa com médicos, assistentes sociais e psicólogos para tentar convencer estes doentes a serem encaminhados para outros estados, mas nós só conseguimos um grupo pequeno, que já está pronto para ser transferido”, informou. Conforme publicado pelo jornal Rondônia Agora, pelo menos seis dos que estavam internados nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) de Porto Velho concordaram embarcar à Curitiba, no Paraná, estado que também se comprometeu em recebê-los.

Dos 50 pacientes, 20 serão enviados para o Hospital Universitário de Canoas. Os outros 30 ficarão em Porto Alegre – dez no Grupo Hospitalar Conceição (GHC), dez no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e outros dez no Hospital Vila Nova. Em Canoas e no Vila Nova, eles ficarão internados na ala Covid. No Hospital de Clínicas, ficarão segregados em um espaço covid exclusivo, no 9º andar sul. 

No Hospital Conceição, segundo o diretor técnico, Francisco Paz, eles também ficarão em um espaço em separado e serão testados para se descobrir qual é a cepa do vírus que os infectaram. “São pacientes de média-complexidade e que precisam de cuidados clínicos. Estes leitos são em caráter isolado dos demais. Até confirmar a qual é a cepa que estão, vamos mantê-los em um isolamento mais estrito e uma única equipe irá atendê-los. Se houver necessidade de transferi-los para UTI (Unidade de Terapia Intensiva), serão”, detalha Paz.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895