Passa de 800 o número de pacientes com Covid-19 nas UTIs no Rio Grande do Sul

Passa de 800 o número de pacientes com Covid-19 nas UTIs no Rio Grande do Sul

Novo recorde foi registrado nesta terça-feira no Estado

Jessica Hübler

Taxa de ocupação nas UTIs da Capital é de 90,66% nesta terça-feira

publicidade

Mais de 800 pacientes com diagnóstico positivo da Covid-19 estão internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no Rio Grande do Sul. No total são 803 confirmados, o número é o maior desde o início da pandemia. Além disso 139 pessoas com suspeita da doença também estão nas UTIs gaúchas. Do total de 2.538 leitos, 2.040 estão ocupados, sendo que as internações relacionadas ao novo coronavírus representam 46,37% do total. A taxa de ocupação nas UTIs do Estado, na tarde desta terça-feira, era de 80,4%.

Em Porto Alegre, na tarde de hoje, apenas 71 leitos de UTI estavam livres. Do total de 784 leitos, 24 estavam bloqueados e 689 ocupados. Entre os pacientes, 277 estavam relacionados à Covid-19, sendo 247 com diagnóstico positivo e 30 com suspeita da doença, o que representava 40,20% do total. A taxa de ocupação nas UTIs da Capital era de 90,66% nesta terça-feira. 

Com todos os 62 leitos de tratamento intensivo ocupados, o Hospital Moinhos de Vento renovou por mais 72h as restrições de acesso à emergência da instituição. O espaço está fechado, há 18 dias, para casos leves de Covid-19 e pacientes com suspeita de infecção por coronavírus.

Segundo o último boletim da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 25 pessoas diagnosticadas com a doença estão internadas na UTI do Moinhos. Há, ainda, outros dois casos suspeitos sob cuidados intensivos no local. Outros seis pacientes aguardam, na emergência, a abertura de um leito.

A restrição será reavaliada na quinta-feira. Até lá, a emergência do Moinhos só irá receber casos graves de Covid-19 e pessoas sem suspeita de infecção por coronavírus, priorizando os pacientes com maior necessidade de atendimento. Em comunicado, o hospital afirmou que a medida tem como objetivo “manter a excelência nos serviços prestados”.

Clínicas também enfrenta situação delicada

Referência no combate à pandemia em Porto Alegre, o Hospital de Clínicas também está operando próximo ao limite desde a chegada da segunda onda de Covid-19 à Capital. Na segunda-feira, a instituição anunciou a retomada de restrições na tentativa de evitar a superlotação das instituições.

Com isso, os setores que ainda não haviam tido as atividades flexibilizadas vão continuar inativos, e novos agendamentos de cirurgias foram suspensos. Os procedimentos já marcados serão reavaliados, mantendo-se apenas aqueles sem possibilidade de adiamento. O Clínicas incentiva, ainda, a prática de teleconsultas em casos não-emergenciais.

Dos 147 leitos de tratamento intensivo disponíveis no hospital, 114 estão ocupados e 15 bloqueados. Desses, 56 foram diagnosticados com a Covid-19 e quatro aguardam confirmação. A taxa de ocupação é de 87,7%. Há, ainda, 13 pessoas aguardando uma vaga na UTI, sendo quatro delas infectadas pelo coronavírus.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895