Pedalinhos do Parque da Redenção estarão em funcionamento a partir de novembro

Pedalinhos do Parque da Redenção estarão em funcionamento a partir de novembro

Área de lazer terá ainda o retorno do trenzinho até o final deste ano e o do complexo gastronômico até o início de 2022

Claudio Isaías

Os pedalinhos poderão ser elétricos ou manuais

publicidade

Os tradicionais Pedalinhos do Parque da Redenção, em Porto Alegre, estarão de volta e em funcionamento a partir de novembro, segundo informou o secretário municipal do Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade (Smamus), Germano Bremm. A área de lazer terá ainda o retorno do trenzinho até o final deste ano e o do complexo gastronômico até o início de 2022. A ordem de início dos pedalinhos e do trenzinho foi assinada nesta semana pela prefeitura. 

Nesta quarta-feira, a empresa contratada pelo Município realizava os trabalhos de montagem de um deque na região do lago da Redenção que servirá  de embarque para os pedalinhos. As empresas Solidos Equipamentos Infantis e Ioiô Casa de Festas Infantis foram homologadas como vencedoras da licitação para uso comercial dos tradicionais pedalinhos e trenzinho e do espaço gastronômico, denominado Complexo do Lago, no Parque da Redenção.  

Veja Também

A empresa Solidos Equipamentos Infantis fez a proposta de R$ 15,2 mil de outorga para os pedalinhos e trenzinho, enquanto a Ioiô Casa de Festas Infantis apresentou R$ 20 mil de outorga para o espaço gastronômico, que funcionará na área do antigo orquidário. Segundo Bremm, os valores pagos serão revertidos em contrapartida para manutenção do próprio parque, trazendo mais benefícios para a população. 

Os pagamentos mensais, estipulados em R$ 4,8 mil para cada uma das empresas, só terão início quando as atividades comerciais estiverem funcionando. O prazo de vigência da permissão de uso será de cinco anos, a contar de 60 dias após a data de assinatura do termo de permissão de uso, podendo ser prorrogado.

Os pedalinhos poderão ser elétricos ou manuais, confeccionados em fibra de vidro de alta resistência, com capacidade para, no mínimo, duas pessoas. Deverão ser colocados à disposição do público pelo menos 15 pedalinhos. O embarque será no prédio onde funcionava o antigo café. O embarcadouro tem área total de 55 metros quadrados – a estrutura foi tombada em 1997 e restaurada em 2020.

 A sócia da empresa Solidos, que também é permissionária do Parquinho da Redenção, Isabel Cristina Ferraz Sokolnik, informou que pretende requalificar todo o espaço. “O trem será tipo maria-fumaça, com conforto, segurança e preço acessível", acrescentou. Os pedalinhos em formato de cisne que eram uma das atrações da Redenção deixaram o lago do parque em 2019. Eles estavam em atividade desde 2004.

O trenzinho é um veículo composto por uma locomotiva e vagão para comportar no mínimo 20 passageiros. O equipamento deverá ser dimensionado para circular em um percurso de aproximadamente 2.500 metros, com saída no Postinho, em direção à área do cachorródromo. O embarque e desembarque serão realizados no Postinho, pequena edificação localizada junto ao estacionamento e à rótula das avenidas Paulo Gama e Setembrina, com a rua Luiz Englert. A viagem terá duração média de 30 minutos.

Já o espaço gastronômico, localizado entre o espelho d´água e o laguinho do parque, terá quatro módulos de contêineres de 29,30 metros quadrados, destinados à gastronomia, e um módulo de contêiner de 14,65 metros quadrados, destinado à sanitário. A estrutura também prevê um pergolado de 6x2,50 metros e um pátio de serviço de 128 metros quadrados, ocupando área externa total de 750 metros quadrados para atendimento ao ar livre com mesas, cadeiras e guarda-sóis. Pedro Santarem, sócio da empresa Ioiô, disse que o projeto buscará utilizar estruturas sustentáveis.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895