Pelo menos 75% das emissões de carbono do Mundo ocorrem nas cidades, aponta Smams

Pelo menos 75% das emissões de carbono do Mundo ocorrem nas cidades, aponta Smams

Dados foram apresentados pelo secretário municipal Germano Bremm em seminário online nesta sexta

Claudio Isaías

Germano Bremm participou nesta sexta do seminário online “Planejamento Urbano e Mudanças Climáticas”

publicidade

Pelo menos 75% das emissões de carbono do Mundo ocorrem nas cidades. Dos 2,8 toneladas de CO2 produzidos em Porto Alegre - 66% são provenientes do setor de transporte, 20% de resíduos e 14% de fontes estacionárias - residências e edifícios comerciais. 

Os dados foram apresentados pelo secretário municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams), Germano Bremm, que participou nesta sexta-feira do seminário online “Planejamento Urbano e Mudanças Climáticas”. 

A iniciativa fez parte das comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado hoje. "A solução dos problemas sem dúvida passa pela organização dos municípios em buscarem um planejamento urbano ideal para que possamos ter um meio ambiente melhor", ressaltou. Em Porto Alegre, o último inventário do gás de efeito estufa foi realizado em 2013 pela Prefeitura, em parceria com o Iclei América do Sul.

Segundo Bremm, o tema do seminário está alinhado com a estratégia da Prefeitura de integrar a política climática ao planejamento urbano, a partir da revisão do Plano Diretor. “A inclusão das diretrizes dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU na revisão do plano diretor, com a cooperação técnica do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, contempla a temática, fundamental para tornar Porto Alegre uma cidade cada vez mais resiliente e de baixo carbono”, explicou. 

A estratégia de integração das políticas, destacou o secretário, foi determinante para a recente seleção da Capital para projeto-piloto do Google.org e do Iclei América do Sul de planejamento climático. 

Aliança global 

O gerente de projetos do Iclei América do Sul, Igor Reis de Albuquerque, afirmou que existe uma aliança global de cidades e governos comprometidos com a luta da mudança climática e com a redução dos seus impactos. "A ideia é facilitar o acesso à energia sustentável e acessível para todos", destacou. 

Segundo Albuquerque, a população muitas vezes, acha que as mudanças climáticas estão distantes de ocorrer. “A mudança de comportamento em relação a separação de resíduos e as escolhas relacionadas à mobilidade fazem a diferença para melhor", acrescentou. Albuquerque é gerente de projetos do Iclei América e há 13 anos, dedica-se à agenda de Mudança do Clima, com experiências no Brasil, Reino Unido, Colômbia e Argentina.

Albuquerque foi responsável pela coordenação técnica de mais de dez inventários de emissões de gases de efeito estufa (GEE), sendo certificado pelo programa do Banco Mundial - City Climate Planner. Desde 2013, participa da gestão técnica de 12 Planos de Ação Climática. Há sete anos integra o projeto Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG) no setor de 

O seminário contou ainda com as participações de dois integrantes da equipe do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que ganhou o Nobel da Paz em 2007, o cientista Carlos Nobre e a vice-presidente da entidade, Thelma Krug, o arquiteto Claudio Acioly Júnior, e a especialista em políticas públicas do Observatório do Clima, Suely Araújo.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895