Perder ou esquecer objetos pessoais é comum no período de verão em Porto Alegre

Perder ou esquecer objetos pessoais é comum no período de verão em Porto Alegre

Central de Achados e Perdidos da Trensurb e Rodoviária encontram vários itens perdidos diariamente

Sidney de Jesus

Pertences ficam à disposição de seus donos pelo período de dois meses

publicidade

Diariamente alguém esquece ou perde algum objeto pessoal em locais públicos, no interior do trem, ônibus, carros de aplicativos, entre outros lugares de Porto Alegre. Celulares, óculos, livros, carteiras, documentos de identificação, cartões de banco, bolsas, mochilas, guarda-chuva e roupas são alguns dos acessórios que as pessoas mais perdem ou esquecem na Capital. A perda de itens pessoais é muito comum, principalmente  no período de férias de verão, onde muitas pessoas saem para viajar.

A Central de Achados e Perdidos da Trensurb registrou no ano passado, 2.508 objetos perdidos ou esquecidos nos trens, nas estações e também no aeromóvel. Segundo o Agente Metroviário Marco Antônio Machado, os documentos e objetos encontrados ficam à disposição de seus donos na Central pelo período de dois meses. "Após este prazo, são enviados à Agência Central dos Correio de Porto Alegre e alguns são doados para Ongs e a Defesa Civil", informou o agente, que destacou que a procura por itens perdidos diminuiu bastante devido a pandemia. 

"Mesmo assim as entregas de objetos giram em torno de 30%", afirmou, lembrando que os principais itens encontrados são documentos de identidade, carteira de habilitação, cartões e vale transporte. "Também já encontramos objetos estranhos por aqui, como uma lápide de túmulo", revelou.

O Agente Metroviário informou, ainda, que além do atendimento na Central,  a lista de documentos e objetos perdidos estão no site da Trensurb. O serviço de achados e perdidos da Trensurb fica na Estação Farrapos, e funciona de 2ª a 6ª feiras, das 8h às 12h e das 13h às 16h30. O telefone é 3363-8714.

Na Estação Rodoviária de Porto Alegre, o setor de Achados e Perdidos funciona na sala 92, localizada no segundo andar do complexo. De acordo com o responsável pelo setor, Hugonir de Souza Rodrigues, que trabalha na Rodoviária há 22 anos,  centenas de pessoas perdem objetos na área interna da estação  e no transporte rodoviário todos os anos.

Veja Também

"Devido à pandemia, muitos itens nunca foram procurados por seus donos, mas a grande maioria ainda tenta recuperar seus objetos. Fazemos sempre um relatório com data, hora e local dos pertences encontrados. Atualmente, temos uma média de 15 itens esquecidos mensalmente dentro dos ônibus e na estação", revelou.

Segundo ainda  Hugonir, entre os  objetos comuns mais perdidos  estão documentos, celulares, guarda-chuva, sacolas, óculos e  roupas. Ele ressaltou também que  já foram encontrados alguns pertences curiosos, como muletas, aros de veículos, skates e alimentos. "Encontramos de tudo por aqui", afirmou o responsável pelo setor de Achados e Perdidos, lembrando que os bens ficam em segurança até seus donos virem resgatá-los.

"Os objetos ficam conosco no máximo por 45 dias. Após são encaminhados para o Correio Central e Instituições Sociais", revelou. O serviço de achados e perdidos da Rodoviária fica no Largo Vespasiano Júlio Veppo 70 - Centro, e funciona de 2ª a 6ª feira. O telefone é 3225-7822.

Serviço de Achados e Perdidos dos Correios

Os Correios oferecem o serviço Achados e Perdidos, disponível em todas as agências centrais do país. Em Porto Alegre, a agência central fica na Rua Siqueira Campos, nº 1.100,  no Centro Histórico. A consulta à relação de documentos disponíveis para retirada pode ser feita em qualquer unidade de Porto Alegre ou no site dos Correios. Instituído há mais de 30 anos, o serviço tem como objetivo encurtar o tempo e reduzir o custo da busca por documentos perdidos. 

Foto: Guilherme Almeida

Mensalmente, em todo o Brasil, mais de 20 mil documentos são disponibilizados para retirada, no entanto, apenas 3% deles são procurados e devolvidos aos proprietários. Os demais são remetidos ao órgão emissor. Aqueles que encontrarem documentos de terceiros podem depositá-los no guichê de qualquer agência dos Correios ou em caixas de coleta. Uma vez recebidos, os documentos são acondicionados em envelopes e guardados, ficando disponíveis para retirada durante 60 dias.

Para retirar o documento perdido, o cidadão deve apresentar outro documento que comprove sua titularidade e pagar uma tarifa de R$ 5,95. Documentos sob a guarda dos Correios só poderão ser entregues aos proprietários ou seus representantes legais, devidamente  reconhecidos. Caso seja constatado que o documento perdido esteja em uma cidade diferente da qual o proprietário se encontra, é possível fazer uma solicitação para que ele seja enviado à agência mais próxima.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895