População precisa seguir medidas sanitárias para evitar novos casos de Covid-19, diz diretor do GHC

População precisa seguir medidas sanitárias para evitar novos casos de Covid-19, diz diretor do GHC

Cláudio Oliveira salientou a necessidade de vacinação e citou torcida de profissionais pela diminuição da procura nos hospitais

Cláudio Isaías

População precisa seguir medidas sanitárias para evitar novos casos de Covid-19, diz diretor do GHC

publicidade

"A população precisa manter as medidas que são básicas como o uso da máscara, evitar aglomerações e manter o distanciamento social. Somente com essas ações vamos evitar novos casos da Covid-19 e evitar que as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) se transformem em emergências e que os postos de saúde acabem por funcionar como UPAs". O alerta é do diretor-presidente do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), Cláudio Oliveira, ao explicar que os profissionais de saúde torcem nesse momento para que diminua a procura por atendimento tanto nos hospitais quanto nos pronto atendimentos e nas unidades de saúde. "Se der tudo certo, num horizonte de 15 dias poderemos voltar a atender a nossa população. Agora, para que isso aconteça, as pessoas precisam seguir as medidas dos protocolos sanitários", ressaltou. 

Veja Também

Oliveira afirmou que não há uma receita pronta para enfrentar esse momento tão grave da área da saúde. "O nosso mantra é o seguinte: precisamos de vacina e precisamos que a população siga as determinações das autoridades da saúde. É fundamental a manutenção do distanciamento social, que se evite aglomerações e que se use máscara. Não há outra saída. Se isso não acontecer, seguiremos com hospitais, UPAs e postos de saúde superlotados", acrescentou. Ele afirmou que não é momento de realizar qualquer tipo de aglomeração. "Estamos em uma situação de extrema tensão e temos mais de 100 pacientes necessitando de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em toda a nossa rede", ressaltou o diretor-presidente do GHC. 

 

Atendimentos 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que as unidades de saúde são indicadas para atender pessoas com sintomas respiratórios leves, como dor de garganta, cansaço leve, dor de cabeça e no corpo. A rede municipal conta com mais de 130 postos, incluindo unidades de turno estendido, abertas até as 22h. No local, o profissional está apto a orientar para os cuidados necessários e solicitar exame que testa o contágio por Covid-19. São 19 pontos de coleta na cidade, entre laboratórios parceiros e tendas em unidades de saúde.  

“Medidas de distanciamento social, uso de máscara e higienização de mãos com água e sabão ou álcool em gel, além de não fazer aglomerações, são extremamente importantes para evitar a disseminação do coronavírus", ressaltou o coordenador Municipal de Urgências da SMS, Diego Fraga. A secretaria alerta que atendimentos de emergência são para casos de falta de ar aguda e cansaço em excesso, diferentes do habitual, acompanhados de febre permanente. Nessas situações, são indicados os prontos atendimentos Bom Jesus, Lomba do Pinheiro e Cruzeiro do Sul e a UPA Moacyr Scliar. 

Os pacientes com necessidade de internação são cadastrados na Central de Leitos do município e aguardam a disponibilidade de leito hospitalar. Quadros mais graves, com necessidade de oxigênio ou ventilação mecânica, são encaminhados para UTI. Outros menos graves são direcionados a leitos de enfermaria. 

Capacidade para mais de 2,4 mil testes diários 

Na reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara de Vereadores, a secretária adjunta municipal da Saúde, Ana Carolina dal Ben, informou que os 19 locais de coleta de testes PCR têm capacidade para a realização de 2.450 testes diários. Segundo ela, a prefeitura  trabalha para ampliar esse número. De acordo com a secretária adjunta, existe ainda a previsão de instalação de tendas para acolhimento e atendimento de pacientes com sintomas leves e uma discussão com o Exército que ofereceu um hospital de campanha. "Estamos fazendo todo o esforço possível para dar atendimento a todas as pessoas que precisam. Agora, é importante que a população siga com os cuidados de higiene e prevenção", completou.  

Na manhã desta quinta-feira, as UPAs da Bom Jesus, da Lomba do Pinheiro, da Cruzeiro do Sul, e da Moacyr Scliar seguiam com um quadro de superlotação e atendimento somente de casos graves. No Pronto Atendimento da Bom Jesus, quem procurou a unidade foi informado sobre a realização de um serviço de higienização no local e orientado a procurar outro posto de saúde. No Pronto Atendimento da Cruzeiro do Sul, os funcionários informaram que estavam sendo atendidos somente pacientes graves. 

A mesma situação aconteceu com quem procurou a UPA da Lomba do Pinheiro. No local, somente atendimento de casos extremamente graves. Muita gente procurou também a tenda montada na Unidade de Saúde Pestana, na zona Norte da Capital. A UPA Moacyr Scliar, que pertence ao GHC, seguia com o quadro de superlotação. Na manhã de ontem, 59 pacientes estavam em observação na unidade. A gerente da UPA, Jaqueline Cesar Rocha, informou que deste total, 20 aguardavam leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Covid e seis estavam em ventilação mecânica.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895