Porto Alegre diz ter doses insuficientes de Coronavac para regularizar esquema vacinal

Porto Alegre diz ter doses insuficientes de Coronavac para regularizar esquema vacinal

Após enfrentar filas, algumas pessoas tiveram que procurar mais de um local de vacinação nesta quinta-feira

Gabriel Guedes

Após enfrentar filas, algumas pessoas tiveram que procurar mais de um local de vacinação nesta quinta-feira

publicidade

Foi retomada, nesta quinta-feira, a aplicação da segunda dose da vacina Coronavac para pessoas que precisam completar o esquema vacinal contra a Covid-19. O movimento de procura foi intenso desde as primeiras horas da manhã, com formação de longas filas nos Centros de Saúde Modelo e Santa Marta e Unidade de Saúde IAPI. Mas as doses disponibilizadas, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), serão insuficientes para acabar com a espera das pessoas. Hoje teve gente que não conseguiu se vacinar em um local e precisou ir em outro.

“Fui na IAPI e acabou e aí vim pra cá agora. Estou incomodada com a falta de informação. Se a Prefeitura tivesse colocado numa rede social sobre a falta, não precisaria ir até lá”, conta a estudante da área de saúde, Camila Kaufmann, 23 anos. A primeira dose da Coronavac aplicada nela foi numa das farmácias parceiras da SMS. No Modelo, a fila se estendia além da unidade, pela lateral na avenida Jerônimo de Ornelas.

Veja Também

Em nota, a SMS afirma que a vacinação da segunda dose da Coronavac, hoje, só foi possível após o Município localizar sobras da operação dos últimos dias. Após suspender a aplicação na quarta-feira, para que se apurasse com mais precisão o estoque disponível para continuar a vacinação da segunda dose, a SMS decidiu que seria possível retomar a vacinação nesta quinta-feira. Mas não informou a quantidade de doses disponibilizadas.

Entretanto, a secretaria fez um alerta. “Dificilmente se poderá ir além de um ou dois dias. Depois disso, teremos que aguardar mais Coronavac. Não há previsão para esta semana, nem para a outra”, conclui.

Segunda dose da Pfizer

A segunda dose da Pfizer ficou restrita a quem recebeu a primeira até o dia 6 de maio. “Eu moro no Petrópolis e trabalho aqui no Centro. Então resolvi me dirigir até aqui para tomar a segunda dose da Pfizer”, conta o comerciante Marcelo Seixas, 58 anos, quando aguardava por mais de 1 hora em frente a unidade da Farmácias Associadas da rua dos Andradas.

A imunização esteve disponível em 20 farmácias parceiras e nas Unidades de Saúde Panorama, na Lomba do Pinheiro, Belém Novo e Rubem Berta. Já a aplicação da D2 da AstraZeneca/Oxford foi para quem recebeu a primeira dose há mais de 12 semanas, em 33 unidades de saúde.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895