Porto Alegre mantém redução na taxa de ocupação nas UTIs

Porto Alegre mantém redução na taxa de ocupação nas UTIs

Dos 717 pacientes que estavam internados na Capital, 202 tinham diagnóstico positivo da Covid-19 e outros 20 eram considerados suspeitos

Jessica Hubler

No Rio Grande do Sul, a taxa de ocupação das UTIs era de 68% na tarde desta segunda-feira

publicidade

Segue reduzindo a taxa de ocupação nas UTIs de Porto Alegre e, consequentemente, as internações de casos graves por Covid-19. Na tarde desta segunda-feira, a taxa de ocupação era de 80,74%. Dos 717 pacientes que estavam internados em UTIs da Capital, 202 tinham diagnóstico positivo da Covid-19 e outros 20 eram considerados suspeitos. Ou seja, as internações relacionadas com a Covid-19 representavam 30,96% do total. Além disso, pelo menos 26 pacientes estavam nas emergências hospitalares aguardando por vagas nas UTIs: seis deles com novo coronavírus e 20 com outras complicações. 

Os hospitais da Capital ainda estavam prestando assistência com ventilação mecânica fora das UTIs a pelo menos 31 pacientes. Dos 18 hospitais monitorados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), sete operavam com lotação das UTIs igual ou superior a 90%, sendo que dois deles estavam com as UTIs totalmente lotadas: Pronto Socorro e Fêmina, além do Ernesto Dornelles que operava com 147,50% dos leitos de UTI ocupados.

No Rio Grande do Sul, a taxa de ocupação das UTIs era de 68% na tarde desta segunda-feira. Dos 3.415 leitos disponíveis, 2.323 estavam ocupados. Com relação ao número de internações de pacientes com diagnóstico positivo da Covid-19 ou suspeita, nas UTIs de todo o território gaúcho: 917 pacientes tinham diagnóstico positivo da doença e outros 118 apresentavam suspeita, ou seja, aguardavam resultado dos exames. O total de internações de pacientes com o novo coronavírus ou com suspeita estava em 1.035, o que representava 44,55% do total.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895