Porto Alegre possui mais de 143,5 mil pessoas à espera da segunda dose da vacina contra Covid-19

Porto Alegre possui mais de 143,5 mil pessoas à espera da segunda dose da vacina contra Covid-19

O esquema vacinal completo já atingiu 87,8% das pessoas, na Capital

André Malinoski

Prefeitura tem promovido ações para estimular a vacinação em Porto Alegre

publicidade

Porto Alegre avança na campanha de vacinação contra a Covid-19. Conforme dados atualizados do Vacinômetro da Prefeitura da Capital, até esta quarta-feira, 99,6% da população havia sido imunizada ao menos com uma dose da vacina. O esquema vacinal completo já atingiu 87,8% das pessoas. A corrida da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) agora é para pessoas que estejam com alguma dose em atraso ou sequer tenham recebido a imunização.

“Temos 143.501 pessoas aptas a tomarem a segunda dose, que não estão necessariamente com a segunda dose atrasada. O nosso Vacinômetro indica que 5.180 pessoas não tomaram nenhuma dose, o equivalente a 0,4% da população acima de 12 anos (estimada em 1.211.358)”, afirmou o secretário Municipal da Saúde, Mauro Sparta.

“Ainda assim, temos aplicado a primeira dose em cerca de 500 pessoas por dia, o que é um número considerado bem interessante, tendo em vista que a vacinação para todos os públicos acima de 12 anos está aberta há bastante tempo. Ou seja, as pessoas continuam indo se vacinar”, completou. A SMS, porém, não possui os registros de atrasos por imunizante.

Para buscar as pessoas que ainda não se vacinaram, a Prefeitura de Porto Alegre promove ações como o Rolê da Vacina, em que leva a imunização para escolas, centros sociais, escolas de samba, quilombos e bairros mais afastados do Centro Histórico. Hoje, por exemplo, havia vacinação sendo realizada no Centro Social Amavtron, no bairro Santa Tereza, que atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

Para atrair a população jovem, foi realizada a Parada da Vacina, na avenida Goethe, um ponto de grande circulação de pessoas. A iniciativa, realizada na semana passada, também foi feita em um horário alternativo, com o objetivo de proporcionar a imunização para quem não consegue se dirigir aos postos de saúde em horário comercial. A ação aconteceu em parceria com a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Vacinação

Um total de 39 locais ofereciam vacinação na Capital nesta quarta-feira. Na Unidade de Saúde Santa Marta, no Centro Histórico, havia uma pequena fila de pessoas em torno das 14h. “Aplicamos 291 doses até as 12h45min. Na terça-feira, o total de imunizações foi de 690”, informou a enfermeira Lia Trajano.

No local, havia disponível a Pfizer para quem buscava a primeira dose. O mesmo imunizante era oferecido para quem precisava da segunda dose, assim como a vacina do Butantan. A Fiocruz estava em falta. E todas as vacinas para a terceira dose oferecidas no Santa Marta eram da Pfizer.

O comerciante Manoel Silva, 66 anos, esperava na fila para receber a terceira dose. “Temos mais segurança com a dose extra e é preciso fazer. Não tive Covid, mas teve gente na minha família que pegou”, conta. A aposentada Neida Rosa de Souza, 79, também aguardava pela terceira imunização. “Me sinto mais confiante, mas, infelizmente, perdi uma sobrinha para o vírus”, lamentou.

Há ainda os casos daqueles que se contaminaram e necessitam de internação, como aconteceu com a aposentada Thaiza Della Pasqua, 66. “Fiquei 12 dias internada e precisei até de oxigênio”, compartilha. Por sua vez, a aposentada Ivone Maria da Silva, 64, tentava lembrar em que local se contaminou. “Eu e meus filhos pegamos o vírus. Só pode ter sido no ônibus ou no supermercado, mas sempre me cuidei com máscara de proteção e tinha álcool em gel. Saía pouco de casa”, revela ela, que enfrentou a doença em fevereiro e esperava para ser vacinada com a terceira dose.

Os postos de vacinação estavam no Shopping João Pessoa, no Largo Glênio Peres, em três farmácias e 33 unidades de saúde. Houve aplicação de primeira, segunda e terceira dose em todos os locais (exceto a segunda dose de Coronavac/Butantan, que estava disponível em unidades de saúde específicas). O Rolê da Vacina esteve no Centro Social Amavtron, no bairro Santa Tereza.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895