Porto Alegre quer implantar VLT da Rodoviária à Usina do Gasômetro

Porto Alegre quer implantar VLT da Rodoviária à Usina do Gasômetro

Ainda em fase de estudos, projeto também passaria pelas imediações do Mercado Público

Henrique Massaro

VLT funciona no Rio de Janeiro desde 2016

publicidade

A prefeitura de Porto Alegre pretende implantar um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) no Centro Histórico. A ideia é instalar uma linha que ligue a Rodoviária à Praça XV de Novembro – localizada junto ao Mercado Público – e, em seguida, à Usina do Gasômetro. O projeto, ainda em fase de estudos técnicos e de viabilidade econômica, vem ganhando força internamente nos últimos meses após visitas do prefeito Sebastião Melo e secretários municipais ao Rio de Janeiro, que utiliza o transporte há mais de cinco anos, e à sede da empresa Marcopolo, em Caxias do Sul, que vem testando seu próprio VLT.

Em agosto, a comitiva porto-alegrense visitou o prefeito Eduardo Paes e conheceu as inciativas de mobilidade na capital carioca, assim como as instalações do VLT. Na última sexta-feira, Melo, acompanhado do secretário de Planejamento, Cezar Schirmer, esteve na serra gaúcha para conhecer de perto os projetos da Marcopolo para implantação do veículo. “Esta é mais uma alternativa moderna de transporte sustentável, que pode ser adotada em Porto Alegre. Estamos estudando diferentes soluções para integrar cada vez mais o nosso sistema de transporte”, adiantou o prefeito, na ocasião.

Prefeito esteve em Caxias do Sul para conhecer VLT da Marcopolo. Foto: Mateus Raugust/PMPA/CP

Antes de uma licitação para contratação de uma empresa, a adesão ao VLT na Capital ainda depende de estudos técnicos do ponto de vista da viabilidade econômica, pondera Schirmer. O modelo, no entanto, com uma primeira linha ligando o terminal rodoviário às imediações do Mercado Público e, em uma segunda fase, ao Gasômetro, já foi pensado e é considerado positivo pela gestão municipal sob diversos aspectos. “O VLT tem uma significação não só como transporte, mas valoriza e requalifica o espaço urbano. No mundo, onde foi colocado, houve uma transformação profunda do entorno da linha”, afirma o secretário.

No relatório do Programa de Reabilitação do Centro Histórico, a possibilidade do VLT acabou descartada devido à complexidade. A prefeitura entendeu, no entanto, que a viabilidade deveria ser considerada no Plano de Mobilidade do Centro Histórico. O VLT é um meio transporte sobre trilhos movido à eletricidade semelhante a um bonde moderno, que está classificado entre o metrô subterrâneo e o ônibus tradicional em termos de capacidade. 

Futuro da Rodoviária

A possibilidade vem sendo discutida entre os responsáveis pelo plano de mobilidade urbana do Centro Histórico junto de outras pautas, como, por exemplo, o futuro da Rodoviária. Com uma capacidade ociosa considerada grande, o espaço poderia ser utilizado como um terminal de ônibus da Região Metropolitana. De acordo com Schirmer, outra opção que vem sendo discutida por uma comissão mista composta por representantes do município e do governo do Estado é a transferência da estação para o 4º Distrito. O entendimento é de que a nova entrada de Porto Alegre é pela rua Dona Teodora, na zona Norte, próximo também da Trensurb e do Aeroporto Salgado Filho.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895