Porto Alegre tem alta procura no início de vacinação de pessoas com comorbidades a partir de 40 anos

Porto Alegre tem alta procura no início de vacinação de pessoas com comorbidades a partir de 40 anos

As pessoas receberam a primeira dose da Pfizer ou da Astrazeneca/Oxford

Cláudio Isaías

publicidade

O primeiro dia de vacinação das pessoas com comorbidades com 40 anos ou mais foi marcado por filas nos postos de saúde. A maior movimentação ocorreu no Centro de Saúde Modelo, no bairro Santana, na unidade de saúde Tristeza, na zona Sul da Capital,  no Centro de Saúde IAPI e na unidade Santa Cecília. No Modelo, a fila estava longa e chegou até o cruzamento com  avenida Santana. As pessoas receberam a primeira dose da Pfizer ou da Astrazeneca/Oxford. Não havia Coronavac para aplicação da segunda dose, mas ainda havia cidadãos à procura do imunizante.

No final da manhã de sexta-feira, a Secretaria Municipal ad Saúde (SMS) informou que devido ao movimento baixo no drive-thru de vacinação no estacionamento da PUCRS, também foi permitido a imunização no local também para o grupo das comorbidades. O drive da universidade atendeu até as 17h. As pessoas com comorbidades devem levar os atestados, laudos ou receitas médicas relativas às suas doenças, com cópia que ficará retida para o registro.

Nos principais locais de vacinação de Porto Alegre, como o Centro de Saúde IAPI, Modelo e as unidades Santa Cecília e Tristeza, as pessoas chegaram nos locais de vacinação por volta das 7h para realizar a imunização. Na fila do Centro de Saúde Modelo, a advogada Talita Brião, 42 anos, disse que estava muito feliz por ter feito a vacina. "É um dia muito especial e espero que toda a população brasileira seja imunizada o mais rápido possível", destacou. Hipertensa, a advogada disse que estava muito ansiosa para realizar a imunização contra a Covid-19. "É uma felicidade imensa ter sido vacinada", acrescentou ela ao deixar o Centro de Saúde Modelo.

A policial militar da reserva Rejane Vieira, 44 anos, com problemas cardíacos afirmou que estava estava ansiosa e acompanhando diariamente a redução da faixa etária de imunização contra o coronavírus. "Estou muito feliz por ter feito a vacina", ressaltou. Já Virgínia Bobsin Tietbohl, 58 anos, paciente oncológica e hipertensa não escondeu a emoção ao receber a dose da vacina. "Estava preocupada em razão do número de mortes no país que já passa das 417 mil pessoas. Por isso, queria fazer a vacina o mais rápido possível", explicou.  

Além das pessoas com doenças crônicas com 40 naos ou mais, também podem receber a primeira dose gestantes e puérperas com comorbidades ou não, pessoas com deficiência cadastradas no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) a partir de 40 anos, pessoas com Síndrome de Down, os idosos com 60 anos ou mais e os profissionais de saúde e trabalhadores de apoio de serviços de saúde acima de 18 anos que ainda não receberam a primeira dose de vacina.

Pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas, pessoas cadastradas no BPC, profissionais de saúde e trabalhadores de apoio devem apresentar documentos específicos para serem vacinados. Em relação à segunda dose, todos os locais poderão imunizar todos os públicos aptos a receber a vacina, considerando os intervalos necessários entre primeira e segunda doses, desde que haja disponibilidade de vacinas.

Todas as pessoas deverão apresentar documento de identidade (ou outro oficial com foto e CPF) e comprovante de residência em seu nome ou, no caso de familiar ou outra pessoa, declaração de domicílio em Porto Alegre. A SMS solicita que as pessoas entreguem cópias dos comprovantes, que serão retidas pelo servidor da saúde.
 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895