Porto Alegre tem dois hospitais com atendimentos restritos por conta do temporal

Porto Alegre tem dois hospitais com atendimentos restritos por conta do temporal

Instituto de Cardiologia e o Hospital de Clínicas ainda sofrem com danos<br />

Cláudia Moritz

Queda de árvores trouxe sérios danos ao funcionamento do Instituto de Cardiologia

publicidade

O Instituto de Cardiologia e o Hospital de Clínicas são os dois hospitais de Porto Alegre que ainda têm o atendimento prejudicado após três dias do temporal que causou grandes estragos na Capital. A pior situação ocorre no Instituto de Cardiologia, onde a queda de duas árvores em frente à fachada trouxe sérios danos ao funcionamento. A emergência continuava fechada e sem previsão para reabertura.

Segunda a assessoria de comunicação do Instituto de Cardiologia, a situação pior ocorre na Unidade Santana, que atende a uma média diária de 234 pessoas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O prédio está parcialmente destruído por causa da queda de outra árvore. “Tudo foi cancelado, inclusive os exames de laboratório. As consultas estão sendo reagendadas e não se sabe quando será reaberta. Não há previsão”, informou.

No Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), os atendimentos seguem restritos por causa dos danos estruturais no prédio e a área de pacientes críticos da Emergência permanece sem atendimentos. Porém, já estão normalizados os atendimentos no Centro Obstétrico de consultas no ambulatório. Segundo a assessoria de imprensa da instituição, o Centro de Tratamento e Terapia Intensiva conta com parte de seus leitos bloqueados, o Bloco Cirúrgico está com a metade de sua capacidade em funcionamento e as cirurgias eletivas estão canceladas. Os Centros de Atenção Psicossocial estão fechados.

No Hospital Mãe de Deus, a Emergência e o Centro Obstétrico continuam fechados e as cirurgias eletivas foram canceladas. Os atendimentos estão sendo reagendados, assim como os procedimentos cirúrgicos.

A rotina nos demais hospitais começou a normalizar nesta segunda-feira. No Hospital Ernesto Dornelles todos os setores funcionam sem restrições, garantiu assessora de imprensa Daiane Wolk. Foram utilizados 1,5mil litros de óleo diesel para acionar o gerador no período em que a instituição ficou sem energia da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE).

O diretor administrativo do Hospital Presidente Vargas, Fabiano Prates, disse que os estragos foram pequenos e que desde sábado o atendimento foi normalizado, inclusive no ambulatório. Também no Complexo da Santa Casa de Misericórdia não houve prejuízos aos pacientes. No Grupo Hospitalar Conceição não há mais problemas e todos os hospitais – Fêmina, Cristo Redentor e Conceição e a UPA Moacyr Scliar estão com o atendimento à população normalizado nesta segunda-feira.

No Moinhos de Vento, o temporal não provocou avarias, apenas um telefone deixou de operar por problemas técnicos. O atendimento está sendo feito pelo fone (51) 3537-8000. No Hospital São Lucas da PUC/RS, a assessoria de imprensa informou que todo o atendimento está normal, sem nenhum tipo de restrição.

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895