Porto Alegre tem menor número de pacientes com Covid em UTIs em mais de um ano

Porto Alegre tem menor número de pacientes com Covid em UTIs em mais de um ano

Pela primeira vez em oito meses, total de internações relacionadas ao coronavírus baixou de 200 na Capital

Brenda Fernández

Rio Grande do Sul teve aumento em internações e ocupação de UTIs em cinco regiões

publicidade

A rede hospitalar de Porto Alegre conta, no fim da tade desta terça-feira, com 185 pacientes com confirmação e 14 com suspeita de Covid-19 em leitos de terapia intensiva (UTIs), totalizando 199 casos relacionados à doença. É a primeira vez no ano que esse número baixa de 200 – a última vez havia sido em 5 de novembro de 2020, quando a Capital registrava saldo de 197 casos graves relacionados à Covid. Em retrospecto, a ocupação de vagas de hoje é a mais baixa desde 7 de julho do ano passado, quando 181 pacientes estavam internados com Covid-19.

Com o atual índice, a ocupação das vagas de UTI na cidade é de 78.23%, com lotação igual ou superior a 100% em três dos 18 hospitais. A manutenção da tendência de queda, iniciada no início de junho, quando haviam 431 internados com Covid em terapia intensiva, leva a um cenário completamente diferente de quatro meses atrás, quando a rede hospitalar municipal registrava colapso na ocupação de leitos. Em 25 de março deste ano, o número de casos relacionados à Covid chegou a 870 na Capital – maior marca diária desde o ínicio da pandemia. Considerando o aumento na oferta de leitos e mais de 70% da popuçação porto-alegrense vacinada com a primeira dose do imunizante contra a Covid-19, o contraste na queda é de 671 casos – ou seja, 77,1%.

O secretário municipal de Saúde, Mauro Sparta, atribui a melhora nos índices ao avanço da vacinação. Nesta terça-feira, Porto Alegre atingiu a marca de um em cada três residentes com a imunização completa – o índice sobe a 44% quando há o recorte da população vacinável. 

“A vacina é a esperança de dias melhores. Ela evita a forma grave da doença. Isso se reflete na ocupação dos leitos, que vem diminuindo ao longo dos últimos meses”, afirmou Sparta. A queda nos números é um alento, mas a situação ainda exige cuidados, alertou o secretário: “Mesmo os vacinados devem manter as medidas de prevenção, como o uso de máscaras e a higienização de mãos”.

Veja Também

Vacinação deve chegar ao público de 30 anos nesta semana

Com mais de 1,3 milhão de vacinas já aplicadas, a Prefeitura aguarda a chegada de novas doses para ampliar a campanha para pessoas sem comorbidades na faixa etária abaixo dos 30 anos, o que deve ocorrer ainda nesta semana. Dentre os grupos já vacinados estão idosos, profissionais de saúde, indígenas e quilombolas, profissionais da segurança pública, gestantes e puerpérias, pessoas com comorbidades, profissionais da educação e população em situação de rua.

Desde o início da pandemia em Porto Alegre, em março de 2020, quase 164 mil casos – mais de 10% do total de habitantes da cidade – já foram registrados na Capital. O número de mortes relacionadas ao coronavírus chegou, nesta terça-feira, a 5.313. 

*Colaborou Jessica Hübler


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895