Praça de pedágio da BR 101 deve operar em novembro
capa

Praça de pedágio da BR 101 deve operar em novembro

Utilização da rodovia passa a ter cobrança entre Terra de Areia e Três Cachoeiras, na altura do km 35

Por
Rádio Guaíba

Utilização da rodovia passa a ter cobrança entre Terra de Areia e Três Cachoeiras, na altura do km 35

publicidade

Depois que a CCR Sul assumiu 473 km em estradas federais do Rio Grande do Sul, a construção de novas praças de pedágio entrou em fase mais avançada. As obras do posto de cobrança da BR 101 devem ser concluídas antes do fim do ano. A utilização da rodovia passa a ter cobrança na altura do km 35, entre Terra de Areia e Três Cachoeiras, no Litoral Norte. Conforme o cronograma original, a concessionária deve começar a cobrança, em cinco praças, até 15 de fevereiro do ano que vem.

No entanto, a ideia é antecipar a conclusão e começar a cobrar no trecho da BR 101. “A gente sabe da importância de não haver impedimentos na rodovia durante o verão. Se possível, terminaremos a praça de pedágio de Três Cachoeiras em novembro, mas nosso prazo de conclusão é fevereiro. Essa é a data contratual, mas estamos tentando antecipar”, disse Elvio Torres, gerente de engenharia da CCR Sul, ao Guaíba News desta sexta-feira.

Após a conclusão dos trabalhos, a cobrança de pedágio precisa ser submetida e aprovada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A tarifa para carros é estimada em R$ 4,30, mesmo valor já pago na praça de Gravataí. O preço, porém, vai sofrer reajuste com base na inflação em 2020.

Aos motoristas que seguem da região Metropolitana ao Litoral Norte pela FreeWay, outra cobrança extra vai ocorrer em Gravataí. Hoje, somente no trajeto Capital-Litoral é cobrado pedágio. No entanto, a partir da transferência do km 78 para o km 60, o motorista vai ter de pagar na ida e na volta da praia. A mudança de local ainda depende de aprovação da ANTT.

As demais praças novas também seguem em execução. Quatro delas estão sendo erguidas em um trecho de 226 quilômetros da BR-386, em Victor Graeff, Fontoura Xavier, Paverama e Montenegro.