Prefeitura confirma Gigantinho para acolhimento de moradores em situação de rua

Prefeitura confirma Gigantinho para acolhimento de moradores em situação de rua

Quem for ao local poderá fazer teste rápido para diagnóstico de Covid-19 e receber aplicação da vacina contra o coronavírus

Felipe Samuel

A partir desta terça-feira, será montada uma estrutura no Gigantinho para receber cerca de 100 novas pessoas no período da frente fria que chegará ao Estado

publicidade

Com previsão de avanço de uma frente fria nos próximos dias, com mínimas podendo chegar a 2 graus na Capital, a prefeitura anunciou nesta segunda-feira que o Gigantinho será utilizado para acolhimento de pessoas em situação de rua. A partir desta terça-feira, será montada uma estrutura com 100 novas vagas no local. A iniciativa faz parte de um plano emergencial da prefeitura, caso as vagas disponíveis na rede própria e conveniada se esgotem nos próximos dias.

Ao confirmar o uso da estrutura do Gigantinho, numa parceria com o Inter, o prefeito Sebastião Melo afirmou que a iniciativa tem por objetivo ampliar a rede de acolhimento pelo menos até domingo, quando as temperaturas devem voltar a subir na cidade.

"A previsão inicial da meteorologia é de que o frio vá até domingo. Mas é preciso ter sensibilidade, se tiver que estender (a permanência), vamos conversar com a direção do Inter. Estamos limpando o local, instalando chuveiro. Se os banheiros não funcionarem, vamos alugar banheiros químicos ou alguém vai doar", destacou.

Além de camas cedidas pelo Exército, serão disponibilizados kits de higiene doados pelo Instituto Cultural Floresta (ICF), como lençol, toalha, sabonete, escova e pasta de dentes e pente. Quem optar por se abrigar no Gigantinho poderá fazer teste rápido de antígeno (TR Ag) para diagnóstico de Covid-19 e receber aplicação da vacina contra o novo coronavírus.

"Pretendemos fazer isso com convencimento, tentar dizer para as pessoas que num momento como esse não lugar melhor que o Gigantinho", afirmou.

Melo defendeu a descentralização do atendimento a esse público e reforçou que o governo tem planejamento em todas as áreas, mas que é preciso 'olhar especialmente para os que mais precisam. "Moradores em situação de rua são a situação mais complexa de políticas públicas do Brasil", afirmou. "A maioria desses moradores tristemente usam drogas. Têm pessoas que não aceitam evidentemente um tratamento", completou.

Os moradores em situação de rua poderão fazer ainda três refeições diárias. Além disso, uma ambulância da Unimed ficará à disposição para atendimento no Gigantinho, nas noites de acolhimento, das 19h às 7h. As pessoas acolhidas terão acesso a agasalhos arrecadados na campanha do POA que Doa, liderada pelo Gabinete da Primeira-Dama.

Equipes do Ação Rua, que fazem a busca ativa de moradores de rua, vão ampliar o horário de abordagem: 12 equipes vão atuar até as 21h, por quatro dias, com mais de 120 profissionais envolvidos. Outras quatro equipes vão trabalhar das 21h às 2h.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895