Prefeitura de Gramado organizará o Natal Luz 2011

Prefeitura de Gramado organizará o Natal Luz 2011

Reunião confirmou a realização do evento, que estava ameaçado por denúncias de irregularidades

Halder Ramos / Correio do Povo

publicidade

 Lideranças dos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e do Ministério Público participaram, nesta segunda-feira, de uma reunião no Fórum de Gramado para definir detalhes do 26° Natal Luz, que será realizado de 3 de novembro de 2011 até 15 de janeiro de 2012. O município ficará responsável pela organização do evento, com apoio executivo da Associação de Cultura & Turismo de Gramado.

“Estamos construindo um projeto alternativo para a realização do evento desse ano e projetando uma solução definitiva para as próximas edições”, afirmou o prefeito de Gramado, Nestor Tissot.

Com a definição, os trabalhos de preparação dos espetáculos serão retomados. As negociações estavam paradas desde que vieram a público denúncias de irregularidades no evento.

O prefeito vai contatar pessoalmente com os patrocinadores. “As negociações serão retomadas. Todas as dificuldades serão superadas e faremos o 26º Natal Luz com todo o seu brilho”, afirma Tissot. 

Entenda o caso

No dia 29 de julho, o Ministério Público denunciou 34 pessoas por enriquecimento ilícito na organização do Natal Luz e entrou com ações de Improbidade e Defesa do Patrimônio Público contra o prefeito Nestor Tissot, o vice-prefeito Luiz Antônio Barbacovi e o ex-prefeito Pedro Bertolucci. Tissot nomeou promotores do MP para organizar o evento, o que foi considerado um ato provocativo pelo subprocurador Marcelo Dornelles.

Depois disso, o prefeito admitiu que o evento corria risco de não ser realizado, confirmando temores dos comerciantes da região. Até um padre está na lista de indiciados. O religioso deixou a cidade após forjar um assalto.

Segundo a juíza Aline Ecker Rissato, da 2ª Vara de Justiça de Gramado, que deferiu os pedidos do MP, são fortes os indícios de irregularidades na prestação de contas do Natal Luz. “As escutas obtidas através da quebra de sigilo apontam para a existência de uma organização que visava apoderar-se do evento público Natal Luz para obtenção de enriquecimento ilícito”, observa. Ela decidiu que  todos os demandados, com exceção do prefeito Nestor Tissot e do vice Luiz Antônio Barbacovi, ficam impedidos de receber verbas e contratar ou receber benefícios fiscais.

Bookmark and Share

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895