Prefeitura fecha última comporta do Cais Mauá

Prefeitura fecha última comporta do Cais Mauá

Fato inédito e preventivo ocorre em função ao alto nível do Guaíba

Correio do Povo

Prefeitura fechou todas as comportas, em função do alto nível do Guaíba

publicidade

Pela primeira vez desde que o sistema de proteção contra enchentes em Porto Alegre foi construído, a Prefeitura fechou todas as comportas, em função do alto nível do Guaíba, que às 18h11min desta segunda-feira estava em 2,88 metros  na medição oficial, no Cais do Porto. A última comporta foi fechada por volta das 18h40min, um pouco depois do horário previsto, pois precisou-se da ajuda de uma retroescavadeira para ser cerrada. Foram necessários sete minutos até que ela estivesse completamente fechada.

A terça-feira começará com todas as 14 comportas do sistema fechadas, fato que jamais havia acontecido em quatro décadas desde a construção do muro do cais, que também serve como barreira de proteção da cidade. Mas a medida é preventiva, de acordo com o prefeito José Fortunati. Conforme ele, o Guaíba ainda não ameaça entrar no Centro Histórico. Ondas fizeram o nível chegar a 2,92m no meio da tarde e a água chegou a atingir o cais.

Caso o nível da água estabilize, a comporta – que fica quase em frente à Praça da Alfândega – será reaberta já na manhã desta terça-feira, segundo Fortunati. As outras, que já tinham sido fechadas no domingo, seguirão isolando a cidade do Guaíba.

A marca desta segunda-feira é a maior desde 1967, segundo o Centro Integrado de Comando da Cidade de Porto Alegre (CEIC), que estima que se o nível chegar a 3 metros, a água pode invadir o Cais Mauá. Na zona Sul, em Ipanema, no Parque Marinha e na orla do Guaíba, na Usina, as águas invadiram o calçadão e áreas de lazer do parque.

Serviços suspensos

Em função da cheia do Guaíba, o serviço do Catamarã foi suspenso por tempo indeterminado, até se ter segurança para operar a embarcação. A coleta seletiva foi suspensa nas seguintes áreas, conforme o DMLU: Arquipélago, Estrada São Caetano - Sítio Paloma, Estrada Jaques da Rosa, Acessos da Estrada do Varejão, Bairro Lajeado, Recanto do Sábia - Loteamento, Beco Franklin, Itú Sabará.

A suspensão ocorre em função do acúmulo de água, que impede o funcionamento dos caminhões. O DMLU recomenda que os moradores retenham os resíduos em casa, evitando que os sacos de lixo acabem entupindo bueiros e bocas de lobo ou contribuindo para o assoreamento de arroios.



                                                                                                                                                      Imagens: Carmelito Bifano


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895