capa

Prefeitura retira mais de 7,6 mil toneladas de lixo do Arroio Dilúvio

Serviço de dragagem ocorreu em trecho próximo da PUCRS

Por
Correio do Povo

Serviço de dragagem começou em novembro do ano passado no próximo da PUCRS

publicidade

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) informou, nesta quinta-feira, que foram retirados mais de 7,6 mil toneladas de lixo do Arroio Dilúvio no trecho entre o Parque Esportivo e a passarela da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). 

Este é o resultado do serviço de dragagem que ocorre desde o final de novembro do ano passado. A próxima etapa dos técnicos da Coordenação de Águas Pluviais (CAP) é atuar em um terceiro ponto do Dilúvio, nas proximidades do Museu da PUCRS, e no arroio Passo das Pedras, na zona Norte de Porto Alegre.

Segundo o titular da SMSUrb, Ramiro Rosário, a dragagem do Arroio Dilúvio segue focada nos trechos com maior assoreamento para aumentar a capacidade de vazão, especialmente nos períodos de chuvas. "Implementado nesta gestão, o contrato de dragagem inova em aspectos de controle e fiscalização dos serviços e garante um destino ambientalmente correto para os resíduos retirados dos arroios”, afirmou. 

O secretário lamentou a grande quantidade de material procedente do descarte irregular de lixo. "A exemplo do primeiro trecho, onde quase 300 pneus foram retirados do Dilúvio, quase 100 pneus foram retirados do local", ressaltou Rosário.

O atual contrato de dragagem, licitado por meio do pregão eletrônico 081/2017, foi iniciado em outubro de 2017 e renovado por mais 12 meses, com valor investido de R$ 3.570.549,20 (aumento de 2,75% em relação aos primeiros 12 meses, aplicado o IPCA do período).

Grande quantidade de areia

Conforme levantamento da SMSUrb, o material retirado do Arroio Dilúvio é formado basicamente por areia. O resíduo foi classificado, a partir de análises em laboratório credenciado, como Classe II-A (NBR 10.004 de 2014), o que significa que o mesmo não apresenta perigo para a área onde está e não pode contaminar áreas de maneira irreversível. O material será enviado para aterros com Licença de Operação para recebimento desse tipo de resíduo.

As próximas atividades de dragagem na cidade devem contemplar o Arroio Dilúvio (trecho próximo ao Palácio da Polícia), Arroio Sanga da Morte, no bairro Cristal e Arroio Sarandi (avenida Assis Brasil em direção à Casa de Bombas nº 10).