Procura é intensa para a segunda dose da Coronavac em Porto Alegre para pessoas com 60 anos ou mais

Procura é intensa para a segunda dose da Coronavac em Porto Alegre para pessoas com 60 anos ou mais

Para as pessoas a partir dos 18 anos com comorbidades, a imunização com a primeira dose da AstraZeneca foi ágil na maioria dos locais

Gabriel Guedes

Procura pela segunda dose da Coronavac gerou filas nos locais de vacinação em Porto Alegre

publicidade

Após o anúncio da Prefeitura de Porto alegre liberando a aplicação da segunda dose da Coronavac para pessoas com 60 anos ou mais de idade, a quinta-feira amanheceu com muitas filas junto aos locais de vacinação. Temendo novamente a falta de doses, alguns preferiram passar virar a noite na fila, como foi o caso de algumas pessoas que aguardavam em seus carros, na Avenida Ipiranga, para a abertura do drive-thru da PUCRS, o que ocorreu somente às 9h.

Apesar do movimento, não houve registros de transtornos. Para as pessoas a partir dos 18 anos com comorbidades, o processo para receber a primeira dose da AstraZeneca também foi ágil na maioria dos locais.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ofereceu 15 pontos de vacinação para segunda dose da Coronavac, sendo 12 unidades de saúde e três drive-thrus - PUCRS, Big Barra Shopping Sul e Big Sertório. Com a previsão de chuva, a exceção foi a suspensão do atendimento na tenda no estacionamento do shopping Bourbon Country, que vacina pedestres.

“Estamos esperando desde as 7h20min. Foi muita espera, muito choro, muita ansiedade, muita emoção também. Mas tudo certo agora. Ela estava esperando desde o dia 8 de maio”, conta Roberta Krul, que levou a mãe Estela, moradoras do bairro Jardim Itú Sabará, até o drive-thru do Big Sertório. Era quase 10 horas quando as duas estavam começando a ser atendidas no local.

Em unidades de saúde, a movimentação também foi grande. Houve mais filas nos Centros de Saúde Santa Marta e Modelo, mas em outros pontos, a espera não foi demorada. “Soube da situação na PUC e no Centro. Então resolvi vir aqui, que é mais perto de casos. E uma hora de espera não é tanto”, avalia Rosamaria Engel, 63 anos, moradora da Lomba do Pinheiro, que foi se vacinar na Unidade de Saúde São Carlos, no Partenon. Assim como Estela, ela era mais uma pessoa que aguardava segunda dose desde o dia 8 de maio.

A segunda dose da vacina AstraZeneca também esteve disponível para pessoas que iniciaram o esquema há mais de 12 semanas, mas a procura era baixa. O serviço foi prestado em 33 unidades de saúde, além dos três drive-thrus. Mas quem buscou a primeira dose deste imunizante, como foi o caso do Cezar Augustus dos Santos, 28 anos, encontrou caminho livre. Santos chegou na tenda montada na São Carlos e foi vacinado na hora. “Sou diabético. Mas foi rápido aqui. Cheguei e fui vacinado direto”, conta.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) irá seguir com a campanha da segunda dose da Coronavac final de semana a dentro. Para receber a segunda dose das vacinas, é necessário apresentar documento de identidade com CPF e cartão de vacinação recebido no ato da primeira dose.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895