Procura por testes rápidos de Covid-19 permanece constante em Porto Alegre

Procura por testes rápidos de Covid-19 permanece constante em Porto Alegre

Todas as unidades de saúde da Capital realizam os testes rápidos em pessoas com sintomas da doença

André Malinoski

Testes estão disponíveis para quem apresenta sintomas da Covid-19

publicidade

Uma cena frequente para quem passa perto das unidades de saúde e da sala junto ao campus da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) é a quantidade de público em busca da testagem rápida de antígeno de detecção da Covid-19, em Porto Alegre. Não há uma superpopulação nos locais, mas sempre existe um número considerado de pessoas, especialmente depois dos primeiros dias de janeiro, quando houve registro de aumentos vertiginosos de contaminados em todo o Rio Grande do Sul.

Todas as unidades de saúde da Capital realizam os testes rápidos em pessoas com sintomas da doença. A medida integra uma mudança de estratégia da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) para frear a propagação da variante ômicron, dando o diagnóstico com rapidez para quem apresenta sintomas da nova cepa. O teste fica pronto em menos de 30 minutos. 

Na manhã desta quinta-feira, o público esperava para ser atendido no outro lado da calçada da Unidade de Saúde Santa Marta. “Tenho dores no corpo e na cabeça, e muita tosse. Parece que passou um trem por cima de mim”, relata a aposentada Loreti Colares, de 68 anos.

O zelador José Antônio Gonçalves de Oliveira, 53, reclamava na demora para ser atendido. “Estou aqui desde as 7h24min e nada ainda. Vim testar porque a minha filha, que está em Florianópolis, está com todos os sintomas de Covid”, contou. Situação semelhante enfrenta o aposentado Manoel Augusto, 71, que precisou buscar um posto em função de ter tido contato com uma pessoa positivada para a doença. “Há três dias tenho dor de cabeça”, diz.

Próximo dele, a assistente social Eliane Faria, 53, revelava estar com sintomas gripais há cinco dias. “Tenho dor de cabeça, tosse, coriza e fraqueza”, afirma, destacando que recebeu as três doses da vacina até o momento.

Veja Também

Conforme o boletim epidemiológico divulgado às 17h45min dessa quarta-feira pela SMS, apenas até o dia 19 de janeiro de 2022 foram atendidos nas unidades de atenção primária ou prontos atendimentos com síndromes gripais ou outras condições respiratórias, 25.332 pessoas. Em dezembro do ano passado, os atendimentos somaram 16.184 pessoas.

Se compararmos janeiro de 2022, que ainda sequer terminou, com o mesmo mês de 2021, quando 11.827 pessoas buscaram ajuda nos postos, o crescimento foi de 56,52%, ressaltando que ainda falta um terço para o atual mês de janeiro se encerrar.

Sintomas

Os testes estão disponíveis para quem apresenta sintomas da Covid-19 (febre, calafrio, dor de garganta, tosse, dor de cabeça, coriza, diarreia, alteração no olfato, no paladar, fraqueza e dor muscular) e pacientes assintomáticos em contato com caso positivo e sem esquema vacinal completo. Antes da testagem, todos passarão por avaliação clínica no próprio local.

A testagem deve ser realizada, de preferência, entre o terceiro e quinto dia após o início dos sintomas. Para pacientes assintomáticos, entre o terceiro e quinto dia após o último contato com o caso positivo de Covid-19. Os pacientes que tiverem resultado negativo no teste de antígeno, mas que seguirem com sintomas, poderão realizar teste RT-PCR, mediante encaminhamento das equipes.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895