Produtos não essenciais voltam a ser comercializados em supermercados e farmácias em Porto Alegre

Produtos não essenciais voltam a ser comercializados em supermercados e farmácias em Porto Alegre

Regras mais flexíveis determinadas pelo novo decreto do governo foram bem aceitas pelos setores

Sidney de Jesus

Supermercados já retornaram com as vendas de produtos não essenciais nesta segunda

publicidade

As regras mais flexíveis da bandeira preta, estabelecidas pelo novo decreto do governo do Rio Grande do Sul, que entraram em vigor nesta segunda-feira, já tiveram reflexos em supermercados e farmácias de Porto Alegre.

Com a liberação da comercialização de todos os produtos, antes restritos a itens essenciais, muitos supermercados de Porto Alegre registraram uma grande procura nesta manhã, por eletrodomésticos, roupas, entre outros artigos e objetos. “Acho bom que voltaram a reabrir todos os setores. Roupas e calçados também são essenciais. Semana passada eu perdi um chinelo e não consegui comprar devido às restrições”, lembrou a dona de casa Luciane Alves, 42 anos, enquanto caminhava pelo corredor de um hipermercado da zona Norte de Porto Alegre.

Em outro supermercado, localizado na zona Sul da Capital, as regras mais flexíveis adotadas pelo governo também foram bem recebidas pelos clientes. Acompanhada da neta Isabelle, de cinco anos de idade, a aposentada Vanilda da Silva Mellen, de 62 anos, afirmou - enquanto procurava produtos de limpeza para sua casa - que itens essenciais também são importantes na vida das pessoas. “Estamos numa pandemia e devemos nos cuidar, mas restringir tudo  é muito radicalismo. Ainda bem que adotaram medidas mais flexíveis”, ressaltou.

Foto: Alina Souza

Em uma farmácia localizada na Avenida Cavalhada, a liberação para a compra de produtos não essenciais pegou alguns clientes de surpresa na manhã desta segunda-feira, segundo o gerente da drogaria, Emerson Luis Maciel. “Muitos não sabiam do novo decreto e foram surpreendidos ao verem o acesso a produtos como maquiagem, algodão, acetonas e esmalte liberados”, revelou o gerente.

Mesmo com as novas medidas que flexibilizam a compra de produtos não essenciais, que aumentaram o movimento nos supermercados e farmácias nesta segunda-feira, os estabelecimentos mantiveram os protocolos de prevenção à Covid-19, exigindo o uso de máscara, álcool gel e distanciamento entre as pessoas.

De acordo com o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), Antonio Cesa Longo, a entidade é favorável a reabertura gradual de todos os setores, desde que seja o entendimento das autoridades competentes. “Precisamos confiar em nossos líderes para sairmos desta situação preocupante que estamos atravessando. O setor supermercadista é um aliado do governo e da população no combate ao coronavírus”, afirmou Longo, que ressaltou que “somente o contribuinte pode saber o que é essencial para a sua vida”. 

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895