Projeto do carro elétrico de aluguel em Porto Alegre não sai do papel
capa

Projeto do carro elétrico de aluguel em Porto Alegre não sai do papel

Objetivo seria potencializar o compartilhamento de automóveis aos moldes do BikePoa

Por
Correio do Povo

EPTC explica que o interesse do poder público é buscar alternativas para a mobilidade urbana

publicidade

Tratado como alternativa para o deslocamento da população em Porto Alegre, o projeto do carro elétrico compartilhado não saiu do papel. Os testes, anunciados há quase dois anos pela EPTC foram realizados por técnicos da empresa. Apesar do esforço para buscar soluções para a mobilidade urbana, nenhuma empresa privada demonstrou interesse.

Sobre o edital lançado pela prefeitura em 2017, que restou deserto, a EPTC explica que o interesse do poder público é buscar alternativas para a mobilidade urbana. Desde a publicação do decreto 19.701/17, que possibilita o teste de soluções inovadoras que contribuam com questões de relevância pública, é possível conhecer inúmeras alternativas de mobilidade. 

Conforme o projeto, o carro elétrico da chinesa BYD – empresa referência mundial em veículos elétricos – poderia oferecer autonomia de uso de 300 quilômetros. Segundo a prefeitura, o objetivo era potencializar o compartilhamento de automóveis aos moldes do BikePoa, onde o usuário paga uma taxa, retira o carro em uma estação e circula com ele por um período, devolvendo na mesma ou em outra estação.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior deu uma volta no veículo e aprovou a iniciativa. “Nosso objetivo é mudar a vida real das pessoas e o carro elétrico compartilhado pode se tornar uma alternativa para a mobilidade”, declarou à época.