Restauração da Estátua do Laçador depende da transição da nova gestão da Prefeitura de Porto Alegre

Restauração da Estátua do Laçador depende da transição da nova gestão da Prefeitura de Porto Alegre

Projeto de captação de recursos para revitalização do monumento deve ser discutido com a nova administração

Sidney de Jesus

Estátua está situada em frente ao terminal antigo do Aeroporto Internacional Salgado Filho

publicidade

A Estátua do Laçador tem sido, ao longo dos anos, objeto de campanhas sobre a necessidade de revitalização e até de uma possível mudança de local. Após a identificação de fissuras na base da escultura, através do programa de preservação de monumentos do Estado, apresentado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon), está em andamento um projeto do sindicato para a restauração do monumento. 

Conforme o coordenador do projeto de Construção Cultural e diretor do Sinduscon/RS, Zalmir Chwartzmann, a viabilidade da revitalização da Estátua do Laçador depende, no entanto, do período de transição da nova administração municipal. “Existe um projeto de captação de recursos que deve ser discutido com a nova gestão que está assumindo a prefeitura. Dentro de 15 dias teremos um retorno sobre a possível restauração da estátua, afirmou Zalmir, lembrando que não tem nada definido sobre uma eventual mudança de local do monumento.  

Segundo Chwartzmann, o Sindicato será o responsável pela restauração da estátua em parceria com a Associação Sul Riograndense da Construção Civil e a Prefeitura de Porto Alegre. 

Veja Também

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal da Cultura (SMC), o projeto de restauro da Estátua do Laçador está na pauta do novo secretário da Cultura, Gunter Axt. Ele deve agendar reunião ainda esta semana com as partes envolvidas no processo. Para o secretário, entre tantas demandas na transição da gestão da Secretaria da Cultura, o restauro do monumento é assunto prioritário. 

Contrário a uma eventual mudança de local da Estátua do Laçador, o líder comunitário do bairro Jardim  São Pedro, Armando Macario Abel afirmou que o monumento deve permanecer na zona Norte de Porto Alegre porque a região é a principal porta de entrada da cidade e do Estado. “O Laçador identifica a tradição do Rio Grande do Sul. Ele deve ficar na zona Norte que é o pulmão da cidade. Não existe razão para deslocá-lo para outro ponto. Se isso acontecer vou entrar com uma representação na Câmara Municipal e, se for possível, até no Ministério Público”, ressaltou. 

História da obra O Laçador 

A obra “O Laçador” foi criada em gesso, em 1954, como resultado de um concurso vencido por Caringi para executar uma escultura que identificasse o homem rio-grandense na Exposição do IV Centenário da Fundação de São Paulo. Como modelo de indumentária, o artista utilizou o folclorista Paixão Côrtes, um dos fundadores do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). 

Em 1958, a escultura foi adquirida pela Prefeitura de Porto Alegre e foi, então, a partir da matriz em gesso, fundida em bronze e transportada para ser instalada sobre um pedestal na avenida dos Estados. Em 2007, em função de obras de trânsito na região, a estátua foi transferida para o Sítio do Laçador, em frente ao terminal antigo do Aeroporto Internacional Salgado Filho, onde permanece nos dias atuais.  


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895