Reunião discute como avançar na localização do tenente e sargento desaparecidos

Reunião discute como avançar na localização do tenente e sargento desaparecidos

Órgãos públicos e entidades privadas participaram do encontro ocorrido no pátio da sede da SSP, atingida por incêndio e desabamento

Correio do Povo

Encontro ocorreu em uma barraca montada no local

publicidade

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) reuniu-se na manhã deste sábado com um grupo de engenheiros de órgãos públicos e entidades privadas para dar continuidade e avançar as etapas nas ações de busca pelos dois bombeiros militares desaparecidos nos escombros da sede da Secretaria da Segurança Pública. O prédio da SSP desabou após incêndio ocorrido entre a noite de quarta e madrugada da última quinta-feira em Porto Alegre. O 1º tenente Deroci de Almeida da Costa, 46 anos, e o 2º sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, 51 anos, desapareceram quando combatiam o fogo no local.

O comandante do 1° Batalhão de Bombeiros Militar (1º BBM), tenente-coronel Eduardo Estevam Rodrigues, coordena os trabalhos de busca na área do sinistro. Ele apresentou aos profissionais as ações de combate ao fogo e de busca e resgate desenvolvidas até o momento, enfatizando que a atividade permanece 24 horas em andamento.

Os engenheiros também foram apresentados às equipes de operação e fizeram um reconhecimento da área de escombros no prédio. A partir de agora, os trabalhos terão sequência de forma contínua com avaliações estruturais a cada passo para avançar na remoção de material do perímetro delimitado pela indicação das equipes de binômios, sendo quatro duplas de bombeiro militar e cão de faro e resgate.

O Instituto-Geral de Perícias (IGP) fez um novo levantamento do prédio com imagens de drone para identificar os pontos de maior fragilidade e a necessidade de escoramento de estruturas de concreto.

Além de engenheiros peritos do IGP e de servidores da Secretaria de Obras e Habitação do Estado, a reunião contou com as presenças de profissionais do Laboratório de Ensaios e Modelos Estruturais (Leme) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Sul (CREA-RS), do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia (IBAPE), da Defesa Civil de Porto Alegre e do curso de Engenharia da Unisinos. Profissionais da iniciativa privada, com reconhecida experiência e conhecimento do trabalho em estruturas colapsadas, também estiveram presentes.

A Defesa Civil do Estado providenciou a instalação de duas barracas para servir de base ao trabalho dos engenheiros no pátio da SSP. Em apoio às ações estão mobilizadas também a Secretaria da Segurança Municipal,  Defesa Civil Municipal, Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e Brigada Militar para garantir a segurança no perímetro da sede da SSP, que fica na rua Voluntários da Pátria, perto da Estação Rodoviária.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895