Reunião na Defesa pode ter entrega de cargos de comandantes

Reunião na Defesa pode ter entrega de cargos de comandantes

Encontro previsto para esta terça terá participação do novo e do ex-ministro da pasta; Politização das forças armadas “não será aceita”, indicam fontes militares

R7

Braga Neto, novo ministro da Defesa, estará presente na reunião

publicidade

O ambiente na esfera militar não está livre de tensão nesta véspera do primeiro encontro dos comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica com o novo ministro da Defesa, general Braga Neto, na presença do titular afastado, Fernando Azevedo. A pior das sinalizações será se os três comandantes entregarem seus postos - diz ex-ministro civil da pasta, sob a condição de off (reserva nas declarações). “Os cargos são sempre do presidente, mas a simbologia do gesto é o que conta neste momento”, avalia.

Não foi bem vista a súbita demissão do general Fernando Azevedo, comunicada ao titular da Defesa num encontro de poucos minutos com o presidente, sob a justificativa de que a mudança integraria um conjunto de alterações no primeiro escalão. Azevedo funcionava como anteparo aos movimentos de Bolsonaro de exigir o alinhamento incondicional das forças armadas às suas posições políticas. “A politização das forças armadas não será aceita”, analisa o ex-ministro, após diálogo com fontes militares.

A expectativa é que Braga Neto, na condição de novo titular da Defesa, busque pacificar o ambiente. Mas pode ser recebido com ceticismo e até frieza. O principal indicativo disso é  a própria manifestação de Fernando Azevedo ao deixar o posto. O ex-ministro foi rápido na resposta o Planalto e sua nota oficial lida com atenção pelos atores envolvidos. Na nota em que se despede do cargo, o general reforça a manutenção do papel constitucional dos militares:“preservei as Forças Armadas como instituições de Estado” - e não “instituições de governo”, analisa o ex-ministro ouvido pelo blog.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895