Rio e Niterói terão apenas serviços essenciais a partir de sexta

Rio e Niterói terão apenas serviços essenciais a partir de sexta

Medidas restritivas valerão por 10 dias para conter o avanço da pandemia

R7 e AE

Medidas foram anunciadas pelos prefeitos das duas cidades

publicidade

Os municípios de Rio e Niterói anunciaram que, a partir de sexta-feira, apenas serviços essenciais estarão autorizados a funcionar na tentativa de reduzir o contato entre pessoas e conter o avanço do coronavírus na Região Metropolitana. A determinação valerá por 10 dias, mesmo período que o governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, pretende decretar o "superferiado" no Estado. 

Farmácias, mercados, pet-shops e feiras livres, bancos e hotéis estão entre as atividades que poderão funcionar neste período. Já o atendimento em bares, restaurantes e lanchonetes será exclusivamente para entrega em domicílio, drive-thru e retirada no local.

As medidas foram anunciadas pelos prefeitos das duas cidades em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, no Teatro Popular Oscar Niemeyer, em Niterói, e devem ser reavaliadas até o dia 4 de abril. Ambos reforçaram que o período não deve ser encarado como feriado, mas sim como ação de proteção à vida e isolamento social.

Os prefeitos do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, e de Niterói, Axel Grael confirmaram a suspensão das atividades presenciais em creches, escolas e universidades, além da disputa do Campeonato Carioca, após recomendações dos comitês científicos dos dois municípios em reunião virtual.

Mais cedo, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), externou uma insatisfação que vinha alimentando nos últimos dias contra o governador em exercício, Cláudio Castro (PSC). Ao compartilhar no Twitter uma matéria jornalística na qual Castro afirma que municípios ficarão proibidos de fechar bares e restaurantes durante o "superferiado", Paes foi irônico e alegou que ele não entendeu o objetivo das medidas de isolamento para combate à Covid-19. "CastroFolia! A micareta do governador! Definitivamente ele não entendeu nada do objetivo de certas medidas."

O secretário municipal do Rio, Daniel Soranz, justificou o conjunto de ações em razão do cenário epidemiológico atual na capital fluminense, com 670 pessoas internadas em leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). “Durante toda pandemia nunca se teve tantas pessoas esperando um leito de UTI como hoje”.

O Estado do Rio anunciou que adotará um feriado de dez dias a partir também do dia 26. No entanto, Castro não quer novas restrições de circulação como as dos dois prefeitos. A discordância entre Castro e Paes já vinha crescendo nos últimos dias. Em reunião neste domingo, eles chegaram a conversar em tom ríspido, dada a dificuldade de um consenso.

Em entrevista ao Estadão publicada na última sexta-feira, Castro deu sinais claros de que está alinhado com o bolsonarismo. Ele tenta se equilibrar entre um discurso de que segue "a técnica" e a lealdade ao presidente Jair Bolsonaro, que tem se mostrado crítico ferrenho das medidas de isolamento.

ABC

Os prefeitos de São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra vão seguir a medida anunciada pela capital paulista e antecipar os feriados municipais entre os próximos dias 29 e 1º de abril. Somados à Páscoa e a dois fins de semana, serão nove dias de recesso.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895