Rio Grande do Sul decide antecipar prazo para 2ª dose das vacinas Astrazeneca e Pfizer

Rio Grande do Sul decide antecipar prazo para 2ª dose das vacinas Astrazeneca e Pfizer

Período entre doses passa a ser de dez semanas e não mais de 12

Correio do Povo

Período entre doses passa a ser de dez semanas e não mais de 12

publicidade

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) decidiu, em reunião nesta segunda-feira, por antecipar para dez semanas o intervalo entre as doses das vacinas contra Covid-19 Astrazeneca e Pfizer. Até o momento, o período para a segunda dose era de 12 semanas após a primeira aplicação. A mudança é imediata, mas, por questões logísticas, a pasta acredita em sua aplicação a partir de quarta-feira. 

Até o momento, o RS utilizava o intervalo padrão de 12 semanas (três meses) para ambos os imunizantes, o prazo máximo estabelecido pelas orientações do Ministério da Saúde. Os estados do Acre, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Piauí e Santa Catarina já decidiram pela antecipação. 

A SES explicou que o objetivo é garantir uma melhor resposta imune diante do riscoda variante Delta. “Para essa cepa, é ainda mais necessário ter o esquema vacinal completo”, explicou a diretora do Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde, Ana Costa.

Segundo a Secretaria, há hoje 687.105 doses da AstraZeneca reservadas na Ceadi para serem distribuídas às Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs) e aos municípios nos próximos dias. Quanto a Pfizer, o adiantamento da aplicação não trará impacto neste momento, uma vez que não há remessas com prazo para dose 2 até o início de agosto.

Priorização a lactantes e ampliação de público para adolescentes

Na mesma reunião, foi pactuada a priorização da vacinação de lactantes, mães que estejam amamentando bebês com até 11 meses e 29 dias. As mães nesta situação poderão adiantar a aplicação da vacina, independentemente da faixa-etária. 

O Governo do estado também definiu a ampliação da vacinação em adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham algum tipo de comorbidade. Este grupo, de acordo com a SES, começará a ser vacinado a partir da próxima distribuição, em que o Estado enviará doses específicas para a faixa-etária. O Centro Estadual de Vigilância em Saúde publicará nota técnica especificando as comorbidades que serão abrangidas.

Avanço da vacinação

Mais de 62% da população gaúcha acima de 18 anos já recebeu a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e 25% já possui o esquema vacinal completo com as duas doses ou com a dose única da Janssen. Os imunizantes utilizados são: Coronavac, Astrazeneca, Pfizer e Janssen. O governo estadual prevê imunizar toda população adulta até 20 de setembro. 

Veja Também

Casos suspeitos de variantes preocupam RS

Dois prováveis casos da variante Delta do coronavírus (B.1.1.617.2 – de origem na Índia) foram identificados em Gramado e Santana do Livramento. As amostras passarão por exames mais detalhados para confirmação na Fiocruz. É a primeira vez que casos suspeitos dessa linhagem do vírus são identificados em solo gaúcho.

Além desses dois casos de prováveis Delta, três possíveis casos da variante Alfa (B.1.1.7, origem no Reino Unido) foram identificados e estão em investigação para confirmação.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895