Rodoviários da Capital recorrem à justiça por reajuste salarial

Rodoviários da Capital recorrem à justiça por reajuste salarial

Categoria também exige que cobradores sejam mantidos nas funções

Jessica Hübler

Encontro para negociação coletiva ocorreu nesta quinta-feira

publicidade

A negociação coletiva dos rodoviários segue em aberto. Na noite desta segunda-feira o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Porto Alegre (Stetpoa) realizou assembleia com a categoria e, novamente, a proposta da patronal foi rejeitada por unanimidade. Por conta disso, agora a diretoria da entidade deve buscar uma mediação junto ao Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4), com a intenção de convencer o Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) a apresentar uma nova proposta. 

Conforme a proposta encaminhada pelo Seopa ao Stetpoa, o reajuste dos salários seria de 4,30%, referente ao INPC e não haveria aumento do vale-alimentação. "O aumento de 4,30% sugerido pela patronal foi rejeitado massivamente e, além disso, não querem dar aumento do vale-alimentação (VA), não vamos aceitar", ressaltou um dos diretores do Stetpoa, Marcio Vinicius Campos.

No final de fevereiro, uma assembleia do Stetpoa sinalizou positivamente à proposta do Seopa, mas o encontro acabou não sendo validado pelo presidente do Stetpoa, Adair da Silva, que estava afastado por motivos de saúde. Por conta disso, o dissídio não foi assinado até o momento. A manutenção da função de cobrador, que era uma das principais demandas da categoria, foi garantida pela patronal, mas isso não foi suficiente para convencer os trabalhadores.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895