Rodoviários de Porto Alegre devem fazer novo protesto

Rodoviários de Porto Alegre devem fazer novo protesto

Categoria reclama de parcelamentos nos salários e não descarta paralisação geral em breve

Jessica Hübler

Rodoviários analisam possibilidade de fazer uma paralisação total em Porto Alegre

publicidade

O presidente em exercício do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte de Porto Alegre (Stetpoa), Sandro Abbade, afirmou que na terça-feira os trabalhadores devem realizar nova manifestação, em frente à garagem de uma empresa de ônibus. “Vamos lá tentar fazer um ato”, afirmou.

O principal objetivo da nova mobilização, segundo Abbade, é manifestar a contrariedade da categoria com relação ao parcelamento de salários e o parcelamento dos valores do vale-alimentação. Além disso, ele reiterou que, caso os parcelamentos continuem ocorrendo, o Stetpoa deve organizar uma paralisação geral: “A nossa ida até a garagem das empresas também está servindo para isso”, assinalou.

Segundo o sindicalista, todas as quartas-feiras a diretoria do Stetpoa está realizando reuniões para avaliar as manifestações e, caso os protestos pontuais não sejam efetivos, a categoria poderá articular uma paralisação total. “Estamos nos preparando para isso, caso o parcelamento não acabe”.

Mediação judicial trata do transporte em Porto Alegre

O processo de mediação empresarial relativo ao sistema de transporte coletivo da Capital teve início através de uma reunião virtual conduzida por especialistas do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) do Foro Central de Porto Alegre. Na pauta, a posição e reivindicações dos consórcios privados responsáveis pelo sistema diante do impacto nos negócios causado pela pandemia da Covid-19. A mediação engloba um total de sete processos – alguns anteriores à crise sanitária – em que são discutidas medidas de reequilíbrio contratual da operação.

Participaram da primeira mediação virtual representantes das empresas – Via Leste, MOB, Mais e Viva Sul –, da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), da Procuradoria-Geral do Município (PGM) e Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP). Uma nova sessão virtual de mediação está agendada para o dia 10 de junho, a partir das 16h, com a participação da juíza-coordenadora do Cejusc, Dulce Ana Gomes Oppitz. 

Devem participar também a Corregedora-Geral da Justiça, desembargadora Vanderlei Terezinha Tremeia Kubiak, e o 3º vice-presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), desembargador Ney Wiedemann Neto, além do prefeito da Capital, Nelson Marchezan Júnior.

A iniciativa é inaugural em projeto-piloto para colaborar na solução de conflitos decorrentes da crise econômica atual, que se ampliou em razão da pandemia e da redução das atividades comerciais e da circulação de pessoas. A previsão é de que a partir do dia 15 de junho as empresas poderão agendar as sessões online. Até lá, a solicitação pode ser efetuada pelos e-mails do Cejusc POA: cejuscpoa@tjrs.jus.br ou cejusc2g@tjrs.jus.br.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895