Rodoviários de Porto Alegre rejeitam proposta de reajuste e indicam protesto
capa

Rodoviários de Porto Alegre rejeitam proposta de reajuste e indicam protesto

Categoria projeta que greve só deve ocorrer caso negociação se arraste para além de janeiro

Por
Eduardo Amaral

Categoria projeta que greve só deve ocorrer caso negociação se arraste para além de janeiro

publicidade

Os rodoviários de Porto Alegre rejeitaram a proposta de reajuste salarial apresentada pelo Sindicato das Empresas de Ônibus (Seopa). A recusa foi feita em assembleia do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Porto Alegre (Stetpoa), realizada na tarde desta quinta-feira.

A categoria exige um aumento de 5,5%, que representa a reposição inflacionária mais 2,3% de aumento real. A proposta rejeitada foi de 3,2%, o que cobriria apenas a inflação. Além disso, os rodoviários também não aceitaram a proposta de aumento do Vale Refeição, que passaria para R$ 27.

A data base da categoria é 1º de fevereiro e, de acordo com o vice-presidente do Stetpoa, Sandro Abade, só se fala em greve após esta data. Entretanto, Abade sinalizou para a possibilidade de protestos a partir da próxima semana.

“O trabalho do rodoviário é no asfalto, então se houver protesto não será na frente de uma empresa. Podem acontecer alguns transtornos na cidade”, comentou o sindicalista prevendo congestionamentos durante o dia caso a manifestação em Porto Alegre se confirme.

Mesmo com a previsão de protestos, Abade se mostra tranquilo em relação ao prazo para negociação. “Ainda tem tempo, estamos no sinal verde, não chegamos no amarelo de atenção, mais para o fim do mês já passa para o vermelho.” De acordo com Abade, o dia 27 de janeiro é a data limite para que se encontre uma solução. A reportagem não conseguiu contato com representantes do Seopa.