RS é o segundo estado com maior número de profissionais de enfermagem infectados pela Covid-19

RS é o segundo estado com maior número de profissionais de enfermagem infectados pela Covid-19

Apenas o estado da Bahia está à frente com 4.227 profissionais contaminados desde o início da pandemia

Felipe Samuel

RS tem 3.567 casos confirmados para coronavírus entre profissionais de enfermagem

publicidade

Com 3.567 casos confirmados para o novo coronavírus entre profissionais de enfermagem, o Rio Grande do Sul é o segundo estado com maior número de diagnósticos positivos para a doença. Apenas o estado da Bahia está à frente, com 4.227 profissionais contaminados desde o início da pandemia, conforme dados do portal Observatório da Enfermagem. A disseminação do vírus entre o pessoal que atua na linha de frente do combate à doença apresentou queda em relação à média do ano passado.

Até o final de abril deste ano, foram contabilizados 842 casos positivos, média de 210 casos por mês. No ano passado, foram 2.725 casos confirmados para a doença, uma média de 227 casos por mês. Em todo país, conforme o Observatório da Enfermagem, 28.696 profissionais tiveram diagnóstico positivo para Covid-19, dos quais 12,43% ocorreram no Rio Grande do Sul.

Mesmo com o início da vacinação, nos primeiros quatro meses deste ano foram registradas 10 mortes de profissionais de enfermagem por conta da Covid-19, o equivalente a 2/3 do total assinalado durante todo ano passado, quando 15 pessoas perderam a vida em função da doença.

De acordo com o Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Sul (Coren-RS), 25 profissionais de enfermagem morreram desde o início da pandemia, resultado que coloca o RS como o 13º estado com maior número de mortes entre esses profissionais. No país, o portal contabiliza 775 óbitos com diagnóstico confirmado ou suspeito da doença.

Conselheira do Coren-RS, Sonia Coradini afirma que o RS tem grande número de casos confirmados entre profissionais de enfermagem, com aumento expressivo assinalado em março. "Foi o mês mais difícil para todos, com maior número de casos", destaca. Conforme o Observatório da Enfermagem, em março, 351 profissionais da saúde testaram positivo para a doença.

Veja Também

Sonia destaca que a esperança para reduzir o número de infectados é a complementação da vacinação entre os profissionais. "Temos um percentual alto de profissionais vacinados, poucos ainda não têm a segunda dose. Alguns fizeram a da Astrazeneca, que tem tempo maior de intervalo", observa.

Entre aqueles que tomaram a primeira dose e acabaram contaminados pelo vírus, ela ressalta que estes já apresentam sintomas mais amenos da doença. "Continuamos com bastante preocupação, pois o profissional de enfermagem está na linha de frente, precisamos que todos sejam vacinados", alerta.

Médicos

Conforme levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM) publicado no portal da entidade, 810 médicos perderam a vida em decorrência da Covid-19. Com informações coletadas junto a Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) e outros órgãos, o balanço do CFM - cuja última atualização ocorreu em 22 de abril - aponta que 15 médicos morreram em função de complicações do novo coronavírus no RS. O banco de dados é atualizado quinzenalmente.

Hospital Conceição afastou 3,2 mil funcionários

Uma das instituições referência no tratamento da Covid-19, o Hospital Nossa Senhora da Conceição sentiu os efeitos do avanço da doença entre os profissionais da saúde. Desde o começo da pandemia, o Conceição contabilizou, até 28 de abril, o afastamento de 3.260 profissionais da saúde por conta de diagnóstico positivo para a doença. Com 716 casos positivos para a Covid-19, julho de 2020 foi o mês com maior número de baixas na equipe. Os casos registrados naquele período representam 21,96% do total.

Diretor técnico do Grupo Hospitalar Conceição, Francisco Zancan Paz explica que o início da vacinação reduziu a circulação viral entre funcionários 'a níveis importantes'. Até 28 de março, foram aplicadas 15.728 doses do imunizante.

"Vamos começar a aplicar a segunda dose no pessoal que fez a da Astrazeneca/Oxford. A ideia é completar todo ciclo de vacinação do GHC na primeira quinzena de maio", destaca. Conforme Paz, a aplicação da primeira dose na equipe, em fevereiro, já resultou na diminuição de 25% das infecções pela Covid-19.

Com a disseminação do vírus na Capital, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre intensificou o rastreamento entre profissionais de saúde e realizou 5.184 testes entre os funcionários. Do total, 1.939 (37,4%)foram diagnosticados com a Covid-19. Outros 3.046 (58,76%) apresentaram resultado negativo para a doença e 199 testes foram inconclusivos (3,83%).


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895