RS tem mais de 250 mil pessoas sem 2ª dose de vacina registrada no intervalo ideal

RS tem mais de 250 mil pessoas sem 2ª dose de vacina registrada no intervalo ideal

Porto Alegre tem o maior déficit, com quase 30 mil doses faltantes até esta segunda-feira

Brenda Fernández

Porto Alegre tem o maior déficit, com quase 30 mil doses faltantes até esta segunda-feira

publicidade

O Rio Grande do Sul contabiliza, nesta segunda-feira, 252.309 pessoas sem o registro no sistema de informações do Plano Nacional de Imunizações (SI-PNI) da segunda aplicação da vacina contra o coronavírus dentro do intervalo recomendado pelos laboratórios. No entanto, estes números podem estar, em parte, represados por ainda não constarem no sistema dos municípios. O grupo, que ainda não possui a imunização completa contra o vírus, representa 4% do total da população com a primeira dose. Há 15 dias, esse saldo era de 272.535 pessoas.

De acordo com o levantamento da Secretaria Estadual de Saúde (SES), esse montante se divide entre 133.054 pessoas que deveriam ter tomando a Astrazeneca, 118.748 a Coronavac e 507 da Pfizer. A pasta destacou, no entanto, que o saldo pode destoar da realidade tendo em vista atrasos de registro do sistema das doses aplicadas, que é de responsabilidade dos municípios. 

Porto Alegre, Rio Grande e Pelotas têm maiores registros

Com 29.575 doses faltantes registradas, Porto Alegre tem o maior déficit. Em segunda posição está Rio Grande com 12.094 pessoas sem a segunda aplicação e, em terceiro, Pelotas com 10.171 pessoas que poderiam estar com o esquema vacinal completo.

A pasta reforça a necessidade dos gestores municipais de uma busca ativa pelos moradores que não retornaram aos pontos de imunização. “As gestões municipais também precisam fazer uma busca ativa das pessoas que deixaram de se vacinar quando chegou sua vez. Não basta aumentar a faixa-etária e ter um grande número de faltosos. É preciso olhar para frente e para o retrovisor, avançando na cobertura por idade e buscando quem ficou para trás", destacou a secretária estadual de Saúde Arita Bergmann, em nota nesta segunda-feira.

Municípios com menor cobertura receberão mais doses

O governo gaúcho também realiza uma força-tarefa, nesta terça-feira, para o envio de maiores remessas de vacinas aos municípios com menor cobertura. A entrega a ser realizada amanhã vai cobrir, conforme a SES, 35% do previsto para os ajustes necessários. “Queremos que os municípios sigam vacinando de forma mais uniforme”, explicou o presidente do Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul, Maicon Lemos. 

Nesta segunda-feira, o Estado contava com 56.8% da população residente com a primeira dose da vacina contra o coronavírus e 27% da população com a cobertura vacinal completa. Ao menos dez municípios gaúchos já vacinaram pelo menos 80% da população com a primeira aplicação.

Acompanhando o avanço da imunização, que nas 29 cidades gaúchas de fronteiras já alcançam a faixa etária dos 18 anos, os índices relacionados à pandemia já desenham um novo cenário. O mês de julho teve saldo de 1.597 mortes pela doença, o menor número desde janeiro e o quarto mês consecutivo de redução. O Estado também registra queda nos casos confirmados, que no último mês contabilizou 44.538 registros. Ainda em patamar alto, o índice é o menor desde junho do ano passado. 

Municípios com maior número de registros incompletos da vacinação 

Porto Alegre - 29.575
Rio Grande - 12.094
Pelotas - 10.171
Bagé - 9.664
Santa Maria - 9.095
São Leopoldo - 8.798
Caxias do Sul - 7.769
Canoas - 6.712
Novo Hamburgo - 4.885
Eldorado do Sul - 4.830


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895