RS tem manifestações pró-Bolsonaro e contra o STF em vários pontos

RS tem manifestações pró-Bolsonaro e contra o STF em vários pontos

Mobilizações ocorreram sobretudo nas rodovias, com concentração em postos de combustíveis ou realização de carreatas

Correio do Povo

publicidade

A terça-feira, feriado de Sete de Setembro, foi marcada por manifestações pró-Bolsonaro e contra o Supremo Tribunal Federal (STF) em vários pontos do Estado. Grupos de caminhoneiros e demais apoiadores promoveram manifestações e carreatas em estradas e áreas urbanas. A Polícia Rodoviária Federal e o Comando Rodoviário da Brigada Militar, além da BM, monitoraram os movimentos.

Em Gravataí, uma carreata de caminhões, caminhonetes e automóveis partiu de um posto de combustíveis na ERS 118, perto da BR 290, para circular pela região. Depois, eles seguiram para Cachoeirinha, percorrendo respectivamente as avenidas Dorival Cândido Luz de Oliveira e Flores da Cunha, antes de chegarem em Porto Alegre para participarem de ato nesta tarde no Parcão. Os veículos estavam enfeitados principalmente com as bandeiras do Brasil e também com as cores verde e amarelo.

Houve concentrações em postos de combustíveis às margens das rodovias. Em várias delas foram registrados congestionamentos provocados sobretudo devido às carreatas, que tiveram participação de muitos tratores junto com caminhões e demais veículos. Na BR 386, em Tabaí, uma caravana percorreu a cidade e causou lentidão no trânsito ao passar pela rodovia. A PRF e a BM acompanharam a movimentação.

A PRF constatou manifestações, por exemplo, na BR 158, em Cruz Alta; na BR 285, em Ijuí; no entrocamento da BR 158 e ERS 344, em Entre-Ijuís; na BR 472, em Três Passos; na BR 158, em Júlio de Castilhos; na BR 285, em Bom Jesus; na BR 285, em Vacaria; na BR 285, em Muitos Capões, e na BR 116, em Vacaria.

Já o CRBM orientou os motoristas para que tenham maior atenção e cuidados redobrados ao dirigir nas rodovias no feriado, devido ao aumento do trânsito de veículos lentos e de grande porte, como máquinas agrícolas e tratores que participam das manifestações.

Comboios estavam previstos, por exemplo, na ERS 324 e RSC 153, em Passo Fundo; na ERS 210, em Campo Novo; na RSC 153, em Ernestina; na ERS 223, em Tio Hugo; na ERS 233, em Ibirubá; na ERS 536, em São Miguel das Missões; na ERS 344, em Giruá; na ERS 536, em Caibaté; na ERS 324, em Marau; e na ERS 344, em Tuparendi.

Porto Alegre

Após uma carreata passar por vários pontos de Porto Alegre, os manifestantes começaram a se concentrar na tarde desta terça-feira no Parcão. Mesmo com a chuva, grupos pró-Bolsonaro se concentram para demonstrar apoio ao presidente Jair Bolsonaro. 

Foto: Guilherme Almeida

Caxias do Sul

Em Caxias do Sul, na Serra gaúchas, atos contra e pró Bolsonaro estavam previstos para esta terça-feira, no entanto o de oposição ao governo federal foi cancelado pelo mau tempo. Os apoiadores do presidente promoveram uma carreata com tratores e caminhões que passou por trechos da RSC-453, BR-116 e pelas ruas centrais da cidade. 

Santa Cruz do Sul

O ato de apoio ao governo federal também contou com carreata em Santa Cruz do Sul. Com um carro de som parado defronte da Praça das Bandeiras, os apoiadores do governo do presidente Jair Bolsonaro levaram bandeiras do Brasil, cartazes e faixas com pedidos do fim do que chamam "ditadura da toga", devido às decisões proferidas pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Um ato contrário ao presidente também ocorreu no município. 

Santa Maria

Em Santa Maria, a mobilização de apoiadores de Bolsonaro também reuniu dezenas de pessoas neste feriado. A concentração ocorreu no Largo da Locomotiva, na avenida Presidente Vargas. Na cidade também ocorreu a 27ª edição do "Grito dos Excluídos e das Excluídas", que tem como foco a luta pela participação popular, saúde, comida e moradia. Ato ocorreu na Praça Saldanha Marinho.

Pelotas

Os apoiadores do presidente Bolsonaro se reuniram, nesta terça-feira, em uma carreata pelas principais vias de Pelotas. A grande maioria não utilizava máscara de proteção contra o coronavírus e promovia aglomerações. Cartazes e falas contra o Supremo Tribunal Federal (STF) marcaram o protesto. No município também houve uma mobilização contra o governo federal, concentrada no largo do Mercado Público. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895