Santa Casa disponibiliza leitos de UTI para pacientes de Covid-19

Santa Casa disponibiliza leitos de UTI para pacientes de Covid-19

Segundo o diretor de operação, hospital poderá ampliar o número de unidades de tratamento intensiva, caso seja necessário

Por
Christian Bueller

Santa Casa de Porto Alegre disponibilizou 14 leitos de UTI do Pavilhão Pereira Filho para tratamento de pacientes com Covid-19


publicidade

Depois de um mês e meio com estabilização no avançado da ocupação de leitos de UTI, Porto Alegre voltou a apresentar crescimento na demanda por conta da pandemia. Para auxiliar os hospitais de referência, Clínicas e Conceição, no atendimento à Covid-19 na Capital, a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre disponibilizou 14 leitos de UTI do Pavilhão Pereira Filho para estes pacientes. E novos serão ofertados.

Segundo o diretor de Operações da Santa Casa, Oswaldo Luis Balparda, destas vagas, 11 já estão ocupados. “Destes, seis pacientes, SUS e não SUS, são confirmados para Covid-19”. Em unidades de internação da Santa Casa, há 29 pacientes, 15 confirmados e 14 suspeitos para o novo coronavírus.

Balparda já esperava o chamado municipal para o hospital se unir à força-tarefa de combate à doença. “A Santa Casa se preparou para isso. Tivemos apoio da comunidade gaúcha no início deste processo, com doações da sociedade, que ajudou na nossa estruturação”, conta o diretor.

Balparda revelou que, até o fim de junho, mais 10 leitos serão disponibilizados e não para por aí. “Se for necessário, em julho, serão mais 23 leitos de UTI. Caso ainda seja preciso, podemos reestruturar o Hospital Santa Clara, com mais 33 leitos”, adiantou.

Pavilhão Pereira Filho, da Santa Casa, de Porto Alegre, tem área de isolamento para receber pacientes com a Covid-19 - Foto: Alina Souza

O diretor explica que a demanda dos demais pacientes será impactada com as ofertas de vagas para tratar a Covid-19. “O hospital não cresceu, faz parte da estrutura que já temos. Mas a Santa Casa não vai fugir de sua responsabilidade e as equipes estão preparadas para receber este volume e, alguns já estão conosco”, garantiu.

O médico intensivista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e Grupo Hospitalar Conceição e coordenador do Grupo de Trabalho para Enfrentamento do Coronavírus do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul, Fabiano Nagel, lembrou que o leito de UTI não se resume ao equipamento em si.


“É preciso que haja uma equipe, que se dedica e também corre risco de saúde. Temos que nos unir para superar tudo isso e deixar o menor número possível de pessoas para trás”, diz o médico.