Santo Antônio da Patrulha reporta dois casos de reinfecção por coronavírus; SES nega

Santo Antônio da Patrulha reporta dois casos de reinfecção por coronavírus; SES nega

Pacientes seriam duas mulheres de 65 e 90 anos, residentes do município

Brenda Fernández

Município está localizado no Litoral Norte do Estado

publicidade

Ao menos dois casos de reinfecção por coronavírus foram registrados e notificados, no último domingo, no boletim Covid de Santo Antônio da Patrulha, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. O Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus do município confirmou a informação ao Correio do Povo nesta terça-feira, e disse da possibilidade da existência de outros casos de reinfecção ainda em estudo. Consultada, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) informou não haver caso confirmado de reinfecção no RS. 

De acordo com a Prefeitura de Santo Antônio, os dois pacientes dos primeiros casos notificados são duas mulheres, de 65 e 90 anos, residentes da cidade. Segundo a presidente do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus local, Raquel Castilhos Porcher, as duas idosas – que não pertencem à mesma família – tiveram um período de cerca de 90 dias de diferença entre o primeiro e o segundo teste RT-PCR positivo para o vírus. Segundo a Raquel, ambas testaram positivo entre os dias 20 e 24 de agosto e, recentemente, entre os dias 20 e 22 de novembro. O período entre um teste positivo e outro cumpre o critério da SES de "período igual ou superior a 90 dias" para considerar reinfecção

“Não se sabe se o segundo vírus encontrado nestas pessoas têm o mesmo RNA e cepa (molécula que compõe o RNA), mas para fins epidemiológico consideramos como reinfecção”, explicou. Em linhas gerais, há a possibilidade deste vírus encontrado ser uma mutação do novo coronavírus, mas a certificação depende de uma análise mais rigorosa. O Comitê, no entanto, acredita que a notificação é válida para que a população da cidade, de quase 43 mil habitantes, não se considere imune do vírus ou afrouxe as medidas de restrições impostas pelo governo municipal. Medidas essas que devem ser intesificadas a partir desta quarta-feira por meio da edição do atual decreto. O Comitê deve fazer uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, às 15h desta quarta, para falar das reinfecções e do aumento gradativo dos casos confirmados, que chegam a 50 por dia.

A presidente do Comitê ainda relatou que parte dos possíveis casos de reinfecção na cidade, que são ao menos cinco, apresentaram sintomas mais fortes no segundo contágio. No entanto, ressaltou que os cuidados e o isolamento é padronizado, tendo atenção redobrada aos pacientes idosos. Nenhum dos casos de reinfecção, até esta terça-feira, precisam de internação hospitalar. Raquel ainda assegurou que todos os dados dos pacientes contaminados pela segunda vez foram inseridos no sistema e-SUS Notifica fazendo, desta forma, que a secretaria estadual tenha ciência casos.

Até hoje, Santo Antônio da Patrulha contabiliza 1.133 casos confirmados e 34 mortes por Covid-19. A cidade encontra-se, pela segunda semana consecutiva, até o dia 1º de dezembro, em bandeira vermelha no modelo de Distanciamento Controlado do Governo do Estado.

SES montou critérios para estudar reinfecções

Documento do mês passado da SES sobre o monitoramento de possíveis casos de reinfecção pelo coronavírus estabelece critérios para a investigação. Um deles seria o ressurgimento de sintomas em menos de 90 dias da confirmação da doença. Para isso, devem ser descartadas outras infecções de síndromes respiratórias, como a gripe. 

O texto considera duas situações para admitir a reinfecção: casos positivos para Covid-19 por RT-PCR com ressurgimento de sintomas; e casos positivos para Covid-19 por RT-PCR sem o ressurgimento de sintomas e com novo RT-PCR detectável ou casos inicialmente assintomáticos com RT-PCR detectável
que venham a desenvolver sintomas e RT-PCR detectável. Em ambos, o intervalo entre as duas possíveis infecções devem ser maior ou igual a 90 dias. 

A SES pede aos municípios que informem casos suspeitos de reinfecção. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895