Secretaria de Saúde alerta sobre a suspeita de circulação de variante P.1 em Porto Alegre

Secretaria de Saúde alerta sobre a suspeita de circulação de variante P.1 em Porto Alegre

Pacientes suspeitos de infecção e todos os seus contatos próximos devem ser orientados quanto à importância de cumprir isolamento

Correio do Povo

Técnicos vistoriam os hospitais Vila Nova e Clínicas para avaliar as medidas empregadas para prevenir a disseminação da P1

publicidade

Profissionais de saúde de Porto Alegre foram informados sobre a suspeita de circulação das novas Variantes de Atenção (VOC, em inglês, variant of concern) do SARS-CoV-2 na cidade. As áreas informadas são Reino Unido (VOC 202012/01), África do Sul (501Y.V2) e região Norte do Brasil, onde alguns estados já possuem transmissão comunitária da VP.1. Pacientes suspeitos de infecção desta última – e todos os seus contatos próximos – devem ser orientados quanto à importância de cumprir isolamento durante todo o período de transmissão viral.

Técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) que atuam na Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis (EVDT) enfatizaram a importância de profissionais de saúde estarem atentos para atendimento de pacientes com sintomas compatíveis com Covid-19 que sejam provenientes de regiões que possuem transmissão comunitária de Variantes de Atenção (VOC) do Sars-Cov-2.

 Nesta semana, técnicos do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde de Porto Alegre e da Equipe de Vigilância de Serviços de Interesse à Saúde da SMS visitam os hospitais Vila Nova e Clínicas para realizar vistoria com o objetivo de avaliar as medidas que estão sendo empregadas pelos serviços para prevenir a disseminação intra hospitalar da P.1. Os dois hospitais têm, entre os pacientes, pessoas residentes no Norte do Brasil, que foram enviadas para continuidade do tratamento em Porto Alegre. 

Na última sexta-feira, a segunda edição do boletim genômico da Secretaria Estadual da Saúde revelou o primeiro caso de um paciente portador da variante P.1 no Rio Grande do Sul. Ele era residente de Gramado e tinha 88 anos. O idoso, que possuía comorbidades, faleceu. Os sintomas nele começaram no fim de janeiro e o homem não tinha histórico de viagem ao Norte do país. 

Em razão do diagnóstico, técnicos do Centro Estadual de Vigilância em Saúde irão umentar o número de análises em amostras de pacientes de coronavírus da região da Serra. O objetivo será entender se o caso do idoso foi isolado ou se já há uma transmissão comunitária da cepa na região.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895