Segue o impasse sobre o reajuste da tarifa de ônibus em Porto Alegre

Segue o impasse sobre o reajuste da tarifa de ônibus em Porto Alegre

Prefeitura e ATP estão negociando com mediação do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania

Jessica Hübler

publicidade

Ainda não há definição sobre o aumento do valor da tarifa de ônibus por parte da prefeitura de Porto Alegre. No momento uma negociação entre a Prefeitura e a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), com mediação do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), a pedido do Executivo municipal, está avaliando uma solução emergencial para a operação.

O Centro tem mediado reuniões entre o prefeito Sebastião Melo, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre, mas nada foi decidido até o momento.

A EPTC informou que já foram realizados três encontros e, até o fim da semana, deve ocorrer a quarta reunião a respeito do tema. Apesar disso, não há uma confirmação sobre data e horário do próximo encontro. Após manifestação na Câmara de Vereadores, o prefeito Sebastião Melo frisou que a Prefeitura ainda está discutindo a mediação da Justiça. A negociação deverá contemplar medidas emergenciais para sustentar a operação e também a repactuação do contrato firmado a partir da licitação de 2014.

"Estamos na quarta reunião, ainda não fizemos o acordo da Justiça", afirmou. Além disso, Melo ainda frisou que considera o sistema falido. "Não botarei um centavo a mais depois, num curto prazo da repactuação, porque não acredito no sistema como está aí, acho que ele faliu, não funciona mais e, portanto, não vou botar dinheiro público em um sistema falido", declarou.

Sobre o valor da tarifa, a ATP informou que encaminhou o ofício com o pedido de revisão tarifária a EPTC no final do mês de janeiro. "Após isso, não houve nenhum avanço. As demais questões precisam ser questionadas junto ao órgão gestor". O Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre (Stetpoa) não se manifestou sobre o assunto.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895