Servidores da Trensurb recusam propostas
capa

Servidores da Trensurb recusam propostas

Categoria irá decidir sobre estado de greve em assembleia na próxima semana

Por
Correio do Povo

Metroviários não aceitaram proposta da patronal

publicidade

Os funcionários da Trensurb decidiram apresentar uma contraproposta de reajuste salarial à empresa na próxima quarta-feira. A decisão foi tomada, de forma unânime, durante assembleia do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexas do Rio Grande do Sul (Sndimetrô/RS) realizada nesta quarta-feira. Com isso, a decisão a respeito do estado de greve dos funcionários foi adiada para a próxima semana. 

Na assembleia, que contou com a presença de 130 dos 750 filiados, os servidores recusaram as duas propostas apresentadas pela Trensurb. A primeira oferta da empresa foi de manter as chamadas cláusulas sociais, como proteção a gestantes e outras ferramentas de garantias dadas aos funcionários. Para isso, a empresa propôs 0% de reajuste. 

A outra oferta feita pela Trensurb foi um reajuste de 20% do INPC com retirada de cinco cláusulas sociais. A patronal quer o fim da estabilidade para os integrantes da Sipa; aumento de tempo para retirada de punições das fichas dos funcionários, que hoje é de 18 meses e passaria para dois anos; redução no número de horas para atividades sindicais e o fim da contribuição assistencial. 

Presidente do Sindimetrô/RS, Luis Henrique Chagas considerou que as negociações avançaram muito pouco. “A empresa só quer excluir, e nós queremos apenas a reposição da inflação e não exclusão de cláusulas que garantam a estabilidade.” 

Na próxima quarta-feira o Sindicato apresentará a contraproposta à Trensurb em reunião marcada para às 14h. Eles querem o reajuste com 100% do INPC, abono para compensar as perdas com o Vale Alimentação e Auxílio Creche e validade de dois anos para o acordo. O Sindimetrô aceita discutir o fim da estabilidade para os integrantes da Sipa e prazo em relação aos acidentes, mas isso só acontecerá se a Trensurb aceitar o reajuste proposto pelo Sindicato – a categoria almeja a correção de 100% do índice da inflação nos salários. Chagas acredita que o estado de greve têm grande chance de ser aprovado na assembleia marcada para a próxima quinta-feira às 12h.