Sindec-POA registra denúncias sobre demissões provocadas pela crise da Covid-19

Sindec-POA registra denúncias sobre demissões provocadas pela crise da Covid-19

Sindicato relatou que trabalhadores estão sendo demitidos sem receber aviso-prévio

Jessica Hübler

Sindicato reforça o entendimento de que demissões estão ocorrendo sem justo motivo

publicidade

O Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre (Sindec-POA) registrou um aumento significativo no número de denúncias recebidas sobre as demissões no setor.

Entre as reclamações, os trabalhadores destacam que estão sendo demitidos sem ao menos receber aviso-prévio, sob a justificativa da crise gerada pela pandemia da Covid-19. Enquanto as empresas justificam demissão por força maior, o sindicato reforça o entendimento de que estão ocorrendo sem justo motivo e está dando apoio jurídico aos comerciários.
 
De acordo com o presidente do Sindec-POA, Nilton Neco, a entidade interpreta que não é esse o motivo. “Estamos orientando os trabalhadores a entrarem em contato conosco, para que possamos dialogar com as empresas, verificar se existe a possibilidade de um acordo e, no caso de a empresa não aceitar, encaminhamos a situação para o departamento jurídico e entramos na justiça”, destacou. 

Saída é não demitir ninguém

O sindicato, segundo Nilton, sabia que esse momento seria difícil e exigiria um enfrentamento em defesa dos direitos dos trabalhadores, mas muitas empresas fizeram acordo após as demissões e, além disso, outras estão optando pela redução de jornada, antecipação de férias ou suspensão do contrato. “Acho que a saída é não demitir ninguém e a empresa se ajustar. Acreditamos que não é hora de começar a demitir, algumas empresas estão se equivocando nesse sentido, há outras ferramentas que elas podem utilizar”, enfatizou.
 
As empresas, conforme Nilton, têm alternativas, mas o funcionário que é demitido só tem a opção pelo seguro desemprego. Segundo ele, a estimativa do sindicato é de que mais de 1 mil trabalhadores já foram demitidos e esse número pode ser maior nos próximos dias. “Acredito que essa liberação que está acontecendo não é boa e, no decorrer do tempo, vai aumentar mais a contaminação e acho que isso vai provocar aumento no número de demissões, porque os gestores terão que endurecer o isolamento”, lamentou.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895