Sindicato descarta greve e diz que assembleia teve aprovação dos rodoviários

Sindicato descarta greve e diz que assembleia teve aprovação dos rodoviários

Lideranças de algumas empresas de transporte ameaçaram paralisação se o sindicato não convocar novo encontro da categoria

Sidney de Jesus

Presidente do Sindicato dos Rodoviários descartou grave

publicidade

O Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre (Stetpoa) informou nesta quarta-feira que não vê nenhuma possibilidade de greve dos trabalhadores rodoviários das empresas de ônibus da Capital, após a assembleia realizada na tarde de terça-feira, na sede do sindicato.  

Na ocasião, algumas lideranças de diferentes empresas de transporte ficaram descontentes por não constar um aumento de salário nos itens aprovados durante o encontro e deram um prazo de 72 horas para que o Stetpoa convoque uma nova assembleia. 

Veja Também

Entre as pautas reivindicadas na asssembleia, foram aprovadas a manutenção do plano de saúde, o salário na integralidade, quinquênio e o vale-refeição nas férias que serão pagos a partir de 1º de fevereiro. Além desses benefícios, foi confirmada ainda a permanência dos cobradores e definida a Convenção Coletiva de Trabalho de 2021. 

“A assembleia teve a aprovação da maioria dos cerca de 300 rodoviários que estavam no encontro. Não existe a possibilidade de greve. Fazer greve agora seria um atentado a categoria. A única entidade que pode chamar uma paralisação em 72 horas é o Stetpoa, através do seu presidente”, afirmou o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre, Sandro Abbade.  

Ele avaliou como positiva as decisões aprovadas durante o encontro. “Não perder mais benefícios foi uma grande vitória. Uma série de reivindicações foram colocadas na pauta, mas a aprovação da manutenção dos direitos dos trabalhadores se tornou a maior delas”, ressaltou Abbade, lembrando que a categoria, de forma geral, ficou feliz com a retomada dos salários de forma integral e os demais resultados obtidos na assembleia. “Sei que quando se trata de uma categoria de rodoviários não é fácil contemplar a todos, mas isso foi o que conseguimos após reuniões exaustivas com a patronal", enfatizou.

Segundo a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), o acordo do dissído entre as partes durante a assembleia foi positivo e algo dentro do possível. A ATP destacou que a saúde financeira das empresas de ônibus não vem bem a bastante tempo e se agravou durante a pandemia. “Houve uma queda no número de passageiros e de viagens e a oferta de ônibus foi reduzida.

Em 2019 foram transportadas 233.645.234 pessoas nos ônibus da Capital. Já no ano passado o número caiu para 112.7736.258, numa queda de 52%”, informou. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895